Módulo 2: texto 2 - Manejo de colocação do sincrogest

13 jun 2015

Módulo 2: texto 2 - Manejo de colocação do sincrogest

A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) é a técnica que permite realizar a inseminação artificial em dia e hora pré-determinados por meio de uma sequência de tratamentos conhecida como protocolo de sincronização. Para ter sucesso com a técnica, alguns critérios devem ser levados em consideração e seguidos de maneira rigorosa. A escolha do protocolo adequado para a categoria de fêmeas tratadas está inserida dentro desses critérios. Outro ponto é o dia e o horário de aplicação dos hormônios, pois uma vez iniciado o tratamento, o mesmo tem dia e hora para ser finalizado.

Existem diversos tipos de protocolos para IATF sendo que, a maioria deles faz uso do dispositivo intravaginal de progesterona. Esse é o único hormônio do protocolo que a via de administração é intravaginal e o dispositivo deve permanecer de 7 a 9 dias dentro da fêmea (dependendo do protocolo escolhido) e a queda (perda) do dispositivo antes do tempo necessário de tratamento irá reduzir a eficiência do protocolo e consequentemente reduzirá a taxa de prenhez.

O correto uso do Sincrogest inicia-se com o preparo de todo o material necessário que são: o Sincrogest (implante intravaginal) e o aplicador de Sincrogest (Figura 1), 2 baldes com água (Figura 2), C.B. 30 (Figura 3), luvas de procedimento (Figura 4) e papel toalha (Figura 5). 

São necessários dois baldes com água limpa (10L) preparados com 10 mL de C.B. 30 em cada balde (Figura 6). O responsável pela colocação do implante deverá vestir luvas de procedimento.

Com todo o material próximo, iremos abrir o pacote de Sincrogest no local demarcado (acima do lacre). Para facilitar a montagem do implante no aplicador e diminuir os índices de vaginite, passamos o dispositivo e o aplicador na solução (água e C.B. 30) preparada em um dos baldes. Nesse mesmo balde serão realizadas todas as montagens.

Para a montagem do dispositivo no aplicador, o responsável, com a luva limpa, deverá introduzir o Sincrogest dentro do aplicador começando pela cauda plástica azul voltada para baixo (a fenda externa do aplicador voltada para cima). Introduzir o dispositivo pressionando suas hastes flexíveis pelas pontas de forma que ele fique totalmente dentro do aplicador (Figura7, 8, 9 e 10 – sequencia de montagem). Após montado, passá-lo novamente dentro do balde com a solução de C.B 30 e levá-lo até o animal.

Com a fêmea contida e a vulva limpa e seca preferencialmente com papel toalha (Figura 11), um auxiliar deverá ajudar na abertura da vulva (Figura 12). Com a fenda externa do aplicador voltada para cima, introduza o mesmo até o final da vagina. No momento em que houver resistência, o êmbolo deve ser pressionado (Figura 13) de forma que o Sincrogest seja expulso do aplicador permanecendo na vagina. Após esse processo, o aplicador deverá ser retirado e a cauda plástica do dispositivo permanecerá voltada para baixo (Figura 14). 

Esse aspecto é muito importante, pois ajuda a diminuir o índice de perda do dispositivo, uma vez que a cauda do animal recobre a parte externa do Sincrogest. Realizada essa etapa, o aplicador que saiu da vaca deverá ser higienizado primeiramente em um balde de limpeza pesada (balde 1 - primeira lavagem) e posteriormente, a montagem deverá ser realizada em um segundo balde (balde 2 - segunda lavagem e montagem). A mesma sequência dos baldes deverá ser mantida durante todo o processo.

Os animais serão liberados para o pasto após a correta aplicação dos produtos e somente voltará para o próximo manejo, de acordo com o protocolo utilizado.

Material complementar:

Equipe Reprodução Animal - Ourofino

Tags