Artigos - Tem um bichano idoso? Saiba o que muda e o que deve ser feito.

01 set 2014

Tem um bichano idoso? Saiba o que muda e o que deve ser feito.

Infelizmente ao contrário do que dizem, nossos amigos bichanos não possuem sete vidas e a terceira idade chega para eles também.
Em média os gatos vivem 15 anos e desta forma são considerados idosos entre oito e dez anos. Assim como em todos os indivíduos, a longevidade está relacionada com todos os cuidados recebidos durante as diversas fases da vida. Hoje em dia é possível encontrarmos gatos de estimação ultrapassando os quinze anos. Essa vida longa é devido à melhoria na identificação de doenças, cuidados médicos qualificados desde filhote, melhor controle e prevenção de doenças, disponibilidade de medicamentos mais eficazes e seguros, presença dos gatos no interior das residências e à nutrição altamente melhorada e específica para a espécie em diversas fases de vida. De acordo com a Associação Americana de Clínicos Especialistas em Felinos, os cuidados preventivos com a saúde do bichano idoso devem ser iniciados a partir da faixa etária de 7 a 11 anos de idade.

Assim como nos cães, diversas mudanças comportamentais e fisiológicas acontecem à medida que o gato envelhece. Um felino idoso torna-se menos ativo, passando boa parte do dia dormindo. É normal encontrar gatos idosos que durmam por mais de 18 horas. Essa diminuição de atividade pode desencadear o aparecimento de problemas como a obesidade. Uma nutrição adequada para essa fase da vida, além de prevení-la, auxilia no retardo do aparecimento de outros problemas tais como cálculos urinários, insuficiência renal, problemas com dentes e gengiva, doenças degenerativas (tumores e artrites), prisão de ventre, ressecamento da pele, alterações na pelagem, bolas de pelos e diminuição do apetite.

O avançar da idade faz com que os bichanos tenham uma diminuição do olfato e paladar, esta alteração faz com que os mesmos se desinteressem pelo alimento para que não fique sem se alimentar adequadamente é importante fornecem rações bem palatáveis e levar a comida até ele. Problemas nos dentes e gengivas também levam a dificuldades na alimentação dos bichanos na terceira idade. A ingestão de água é diminuída nos gatos senis predispondo à uma rápida desidratação, portanto muita atenção no fornecimento e consumo de água.

O envelhecimento deteriora diversas partes do organismo do felino e tal deterioração leva ao aparecimento de problemas ósseos e articulares, alterações no funcionamento do coração e outros órgãos como os rins.  Os rins, com o passar da idade, perdem a sua capacidade de selecionar o que é bom ou ruim para o organismo, além de não conseguirem mais reter água no organismo, gerando um quadro de insuficiência renal crônica bastante comum nos gatinhos idosos.

A pelagem tende a ficar menos brilhante e cai em maior quantidade e com mais frequência. Com a chegada a terceira idade os gatos diminuem consideravelmente o hábito de fazer sua própria higiene, por isso é muito importante você ajudá-lo a retirar os pelos mortos fazendo uma boa escovação. Outra atenção especial deve ser dada as unhas que se desgastam menos.

Felinos também sofrem com a morte das células nervosas, o que leva à disfunção cognitiva, embora esta alteração seja mais comum nos cães. Nos gatos os sintomas mais vistos desta disfunção é o esquecimento do que aprenderam ao longo da vida, menor interação com as pessoas e outros animais, alterações no sono e aumento da vocalização.

Nossos amigos bichanos na terceira idade se tornam mais sensíveis às alterações de temperatura, por isso garanta sempre um lugar confortável para seu bichano ficar. Também desenvolvem sensibilidade à mudanças de rotina e ambientais e tais mudanças podem elevar seu nível de estresse. O ideal é não alterar nunca o ambiente onde ele costuma habitar e se houver necessidade de alteração como, por exemplo, mudar um móvel de lugar, é bacana deixar o gato em lugar tranquilo com tudo que ele precisa (caixa de areia, bebedouro, comedouro, cama, etc) e reintroduzí-lo ao ambiente após a alteração.

Mesmo que seu melhor amigo esteja mais distante devido às alterações que ocorrem na velhice, é indispensável que ele continue sendo respeitado e amado, afinal ele é membro da sua família há muito tempo. Visitas regulares ao médico veterinário são sempre bem vindas, preferencialmente duas vezes ao ano para gatos saudáveis e mais frequentes se ele estiver com algum problema de saúde física ou até mesmo mental.

 

Referências:

O gato idoso. Disponível em: http://www.becodosgatos.com.br/idoso.htm.

Saudável na melhor idade – Você sabe como assegurar uma velhice sadia ao seu bichano? Disponível em: http://www.revistapulodogato.com.br/materias/ler-materia/46/saudavel-na-melhor-idade.

A terceira idade do seu gato. Disponível em: http://www.uniaozoofila.org/index.php?option=com_content&view=article&id=69:a-terceira-idade-do-seu-gato&catid=16:guia-de-adopcao-de-gatos&Itemid=49.

Gatos idosos – Cuidando do seu gato mais velho. Disponível em: http://ragburt.com.br/dicas-e-cuidados/gatos-idosos/.

Mariana Castelhano Diniz

Médica Veterinária e Analista Técnica na Ourofino Saúde Animal (Unidade Pet)

Tags


Deixe o seu comentário