Tratamento de feridas em equinos

04 abr 2016

Tratamento de feridas em equinos

Um dos principais motivos do atendimento veterinário em equinos são as feridas da pele ou em tecidos moles, como tendões e ligamentos. Estas feridas são, na maioria das vezes, ocasionadas por objetos estranhos como cercas, portões ou materiais de construção.

O esquema de classificação de feridas leva em consideração três aspectos básicos: contaminação, grau de exposição tecidual e localização. As feridas podem ser classificadas como abertas ou fechadas dependendo do grau de penetração na pele. Feridas fechadas são aquelas que não atingem a espessura total da pele e incluem abrasões, contusões e hematomas. Feridas abertas penetram a derme e comumente envolvem estruturas mais profundas, estando incluídas neste caso as incisões, lacerações, avulsões e perfurações.

Feridas abertas, contaminadas e lacerantes em membros são comumente encontradas em equinos.

O antibiótico Penfort PPU da Ourofino é indicado para estes casos, devido a sua ação rápida e prolongada. O produto já vem pronto para uso e deve ser aplicado via intramuscular profunda. Pode ser repetido em 72h a critério do médico-veterinário.

Em casos de feridas muito extensas, com dor e reação inflamatória, os produtosMaxicam Gel ou Maxicam 2% também podem ser utilizados para conforto do animal.

A cicatrização das feridas é um processo complexo, no qual se desenvolvem reações vasculares, celulares e humorais que visam reparar o tecido original ou substituí-lo por colágeno. Durante este processo, o ideal é sempre deixar a ferida limpa e seca. Alguns cuidados como uso de agentes antimicrobianos ou antissépticos adicionados às soluções para lavagem da ferida, debridamento de tecidos desvitalizados, antibioticoterapia sistêmica e uso de drenos podem fazer a diferença no tratamento.

Os equinos são conhecidos pela formação excessiva de tecido de granulação em feridas cutâneas localizadas em extremidades, e esta complicação ainda é um desafio para o médico-veterinário e criador. Arames farpados constituem uma causa comum de feridas em cavalos. Desta forma, manter as pastagens limpas e livres de objetos que possam causar traumas é primordial para evitar o problema. Além disto, utilizar um manejo sem estresse também pode ser uma boa forma de proteger os animais, visto que os equinos são animais ativos, com respostas rápidas e podem, desta forma, se envolver em acidentes desnecessários.

 

Referências:

Stashak, T. S. & Theoret, C. L. Equine Wound Management. 2009. 2ed.

Raquel Albernaz

Especialista Técnica Ourofino Saúde Animal

Tags