04 out 2010

Coccidiose em Suínos

Com a crescente intensificação e tecnificação na produção de suínos nos últimos anos, surgiram certas doenças que hoje demandam especial atenção e cuidados, gerando significantes prejuízos à produção suinícola. Um exemplo é a Coccidiose ou Isosporose suína, doença causada pela ação do protozoário Isospora suis e caracterizada pela invasão da parede intestinal pelo parasita onde ocorrem lesões nos tecidos da mucosa e submucosa principalmente no ápice das vilosidades, causando diarreia em torno de cinco dias após a ingestão dos oocistos. A coccidiose afeta principalmente leitões entre a 1ª e 3ª semana de vida e ocorre com maior incidência nas épocas de calor e umidade mais intensos. Os principais sinais clínicos da doença são a diarreia amarela acinzentada com consistência pastosa que tende a se tornar líquida (Figura 1) e que apresenta odor rançoso característico. Além desses sintomas também se observa a desidratação, pelagem “arrepiada” e refugo; normalmente não há presença de sangue visível e esta diarreia pode durar de 5 a 10 dias, sendo que os sintomas desaparecem espontaneamente. Em animais adultos, o protozoário não causa sinais clínicos. Devido às lesões no intestino, a doença prejudica a absorção dos nutrientes da dieta, levando a diminuição dos índices de produção e gerando sérios prejuízos econômicos nas granjas. Em busca de minimizar essas perdas, torna-se necessário prevenir a coccidiose, sendo o Isocox Pig Doser® a mais eficiente opção de anticoccidiano à base de Toltrazuril. Sua utilização deve ser feita através da aplicação via oral, em dose única de 1 ml por leitão a partir do 3º dia de vida; cabe ressaltar que estudos realizados com Toltrazuril (Isocox Pig Doser®) em dose oral de 20 mg/kg de peso vivo (1 ml/2,5 kg/PV) evidenciaram o desaparecimento dos sintomas clínicos e a interrupção do ciclo de vida do Isospora suis. A principal fonte de infecção dessa doença é a presença dos oocistos nas instalações, estes remanescentes da leitegada anterior onde geralmente houve falhas no programa de limpeza e desinfecção (PLD), permitindo a viabilidade e permanência dos mesmos até o próximo lote. A associação do Isocox Pig Doser® com um adequado PLD, onde uma limpeza mecânica e uma lavagem bem executadas somadas ao uso de desinfetantes (CB 30 TA® ou Glutaquat®) de qualidade e eficiência comprovadas e ao uso de calor (lança chamas, água quente ou vapor de água) ajudam na preparação das instalações de forma adequada para o próximo lote, sem o risco de contaminações, prevenindo problemas futuros não só relacionados ao Isospora suis, consequentemente refletindo em menores gastos e maiores lucros. [caption id="attachment_121" align="aligncenter" width="300" caption="Figura 1 - Leitão com diarreia (esq.), presença de diarreia amarelo-acinzentada nas instalações (dir.). Fonte: José Cristani CAV-UDESC. "][/caption] Por Maycon Cunha, Técnico de Aves e Suínos da Ourofino Agronegócio.