Cesariana em vacas receptoras de embrião: tratamento pós-operatório

16 nov 2015

Cesariana em vacas receptoras de embrião: tratamento pós-operatório

Durante os anos de 2013-2015 foram monitorados 782 partos de vacas mestiças na Fazenda João Martins município de Guatapará SP. Estas vacas foram utilizadas, em diferentes datas, como receptoras de embriões da raça nelore. Cerca de 40 dias antes da data prevista para o parto, de acordo com a transferência do embrião, as receptoras foram apartadas e permaneceram alojadas em piquetes de fácil acesso, para melhor monitoramento e manejo dos animais.

Durante este período, o monitoramento dos partos ocorreu a cada três horas, com duração de 30 minutos, durante 24 horas. As vacas eram individualmente observadas de acordo com características comportamentais e quando não pariam sozinhas eram conduzidas ao curral para o auxílio ao parto. Os partos noturnos corresponderam a 38% do total (n= 297), e os partos distócicos somaram 67% (n= 523), sendo necessária cesariana em 5,7% destes (n= 28). Todas as cesarianas foram realizadas através da celiotomia do flanco esquerdo (CAMPBEL & FUBINI, 1990; SCHULTZ et al., 2008) após ampla tricotomia local, desinfecção com água limpa, detergente e escova de PVPI degermante. Optou-se pela cesariana com a vaca adequadamente contida no tronco e em estação (animal em pé), após a anestesia epidural e bloqueio local em “L” invertido, com lidocaína 2%. 


Ceasariana através da celiotomia do flanco esquerdo.

Foram estabelecidos dois grupos de tratamentos com antibióticos para o pós-operatório imediato. Para o Grupo 1 (n=14), o antibiótico eleito foi o Trissulfin Injetável durante 05 dias, anti-inflamatório Cortiflan e o analgésico/antipirético Finador durante 03 dias, enquanto o Grupo 2 (n=14), o tratamento foi realizado apenas com o produto Ourotetra Plus LA (associação de antibiótico com anti-inflamatório). Curativos diários utilizando unguento e Colosso Spray foram realizados diariamente em ambos grupos e no 10° dia após a cesariana, os pontos foram retirados. Durante a cesariana os animais receberam fluidoterapia com 2 litros de Fortemil e 400 ml de Cálcio Reforçado Ourofino. Para melhor expulsão da placenta utilizamos 2ml de Sincrocio no dia da cesariana.

As vacas permaneceram sob observação sendo os parâmetros clínicos e comportamentais de fundamental importância para a determinação do prognóstico. Dos 28 animais submetidos à cesariana, 22 se recuperaram totalmente e seis animais vieram a óbito entre o terceiro e décimo dia, ainda durante a fase de recuperação. Entre as causas de morte estão: gangrena gasosa (n=2), retenção de placenta com sepse (n=3) e peritonite (n=1). Devido à ocorrência de gangrena gasosa, optamos por realizar reforço vacinal com Ourovac Poli BT em todos os animais no dia da apartação no pré-parto. Depois da adoção da vacinação, não houve novas ocorrências de gangrena gasosa.


Grupo de vacas em recuperação após a cesariana.

Diante do exposto, após a cesariana, recomendamos fluidoterapia, reposição do cálcio, utilização de antibióticos, analgésicos e antinflamatórios.


Bezerra de 04 meses pleno desenvolvimento corporal e receptora totalmente recuperada.

 

Referências:

CAMPBELL, M. E.; FUBINI, S. L. Indications and surgical approaches for cesarean section in cattle. Compend Contin Educ Pract Vet 1990;12;285-292.

SCHULTZ, L.G.; TYLER, J.W.; MOLL, H. D.; CONSTANTINESCU, G.M. Can Vet J. 2008 June; 49(6): 565–568. 

Ingo Aron Sousa Mello

Gerente Técnico Ourofino Saúde Animal

Tags