Brasil se destaca no cenário mundial da produção in vitro de embriões bovinos

03 mar 2015

Brasil se destaca no cenário mundial da produção in vitro de embriões bovinos

O desenvolvimento de novas tecnologias e a melhora na eficiência na produção de embriões nos últimos anos proporcionou uma tendência mundial de aumento na produção de embriões. Mundialmente, o número total de embriões produzidos (coletados in vivo e produzidos in vitro) entre 2008 e 2012 teve um aumento de 5,8% (IETS, 2013) e entre 2012 e 2013 o aumento foi de 11,6% chegando ao total de 1 275 874 de embriões (IETS, 2014). Apesar do aumento no número de embriões produzidos há uma forte tendência para a mudança na forma que esses embriões são produzidos. Em 2005 houve um grande pico na produção sul americana de embriões coletados in vivo (150 424) porém, em 2013 esse número caiu para 72 770 embriões coletados, mostrando a redução do uso desta biotecnologia (IETS 2014).

Dentro deste cenário sul americano e mundial, o Brasil se destaca como o quinto maior produtor mundial de embriões coletados in vivo com 50 455 embriões transferíveis coletados em 2013, mesmo com uma pequena queda de 1% em relação à 2012 (1º Estados Unidos: 301 671; 2º Japão: 102 880; 3º Canadá: 84 940 embriões). O número total de embriões produzidos in vivo no Brasil (66% em bovinos de corte e 34% em bovinos de leite) corresponde a 6 % do total mundial (IETS, 2014).

Com relação aos embriões produzidos por OPU/PIV a produção da América do Sul corresponde a 72,7% da produção mundial, sendo o Brasil o maior produtor mundial com 366 517 embriões produzidos, cerca de 70% do total mundial (IETS, 2014). O grande destaque brasileiro na produção in vitro de embriões se deve, em grande parte, ao tamanho (211, 764 milhões de bovinos segundo dados do IBGE em 2013) e as características do rebanho nacional com base, principalmente, em raças zebuínas que apresentam maior produção de oócitos por coleta. Vacas Nelores apresentam uma média aproximada de 30 oócitos por sessão de OPU, e devido a grande variação individual podem chegar até 128 oócitos viáveis coletados em um único animal (Pontes et al., 2011). No comparativo entre as técnicas de OPU/PIV (produção in vitro de embriões) e SOV (embriões produzidos in vivo em vacas superovuladas) a OPU apresenta vantagem por apresentar um reduzido intervalo entre as coletas (mínimo de 15 dias) além de produzir em média 8 embriões por sessão de aspiração, já pela técnica de SOV a média seria de 6 embriões por coleta (Pontes et al. 2009). Além disso,  a taxa de concepção com o uso de embriões in vitro é de aproximadamente 36%. (Pontes et al. 2009).

Conforme os dados mostrados acima, atualmente o Brasil se destaca no cenário internacional como referência na produção in vitro de embriões. Além disso, as melhoras nas condições de laboratório e de campo, como o transporte de embriões frescos, vitrificação de embriões e o desenvolvimento de novos meios de cultivo podem potencializar ainda mais o número de embriões produzidos.

Outro ponto de grande importância no sucesso dos programas de transferência de embriões, independente da sua origem (in vivo ou in vitro), é a qualidade das receptoras. Os manejos sanitário, nutricional e reprodutivo são fundamentais para se alcançar boas taxas de concepção. Assim como em vacas inseminadas, as receptoras com baixo escore de condição corporal apresentam reduzida fertilidade. Além disso, a correta sincronização da receptora também é essencial para a obtenção de boas taxas de concepção. A Ourofino Saúde Animal disponibiliza todos os produtos necessários para a sincronização da receptora, conforme a indicação de protocolo abaixo (Figura 1).

Figura 1. Protocolo para transferência de embriões em tempo fixo (TETF).

 

Referências

IETS. 2013 Statistics of Embryo Collection and Transfer in Domestic Farm Animals. Embryo Transfer Newsletter, v. 32 (4) p. 14-26, 2014 .

IETS. IETS 2013 Statistics and Data Retrieval Committee Report. Embryo Transfer Newsletter, v. 31 (4) p. 24-, 2013.

PONTES, JHF et al. Comparison of embryo yield and pregnancy rate between in vivo and in vitro methods in the same Nelore (Bos indicus) donor cows. Theriogenology, v. 71, p 690-697, 2009.

PONTES, JHF et al. Ovum pick up, in vitro embryo production, and pregnancy rates from a large-scale commercial program using Nelore cattle (Bos indicus) donors. Theriogenology, v. 75, p 1640-1646, 2011.

Roney dos Santos Ramos

Especialista em Reprodução Ourofino Saúde Animal

Tags