09 mai 2011

O que você precisa saber sobre otohematoma

Otohematoma ou hematoma auricular é uma afecção comum na rotina de Clínicas e Hospitais Veterinários. Por definição otohematoma consiste na formação de uma coleção de sangue entre a cartilagem auricular e a pele, decorrente de contusão de segundo grau, principalmente na face interna do pavilhão auricular. O aparecimento do otohematoma na maioria das vezes está relacionado a traumas decorrentes de prurido e agitação da cabeça em cães acometidos por otite externa. Durante o ato de coçar ocorre fratura cartilaginosa com consequente rompimento de veias e artérias auriculares. Outras causas também podem estar relacionadas com o surgimento do otohematoma como, por exemplo, algumas síndromes sistêmicas, sarnas auriculares e traumas provenientes de brigas entre cães. Na fase aguda do otohematoma ocorre deposição de fibrina proveniente do processo fisiológico de hemostasia, com presença de seroma sanguinolento. Cronicamente observa-se fibrose na superfície côncava do pavilhão auricular e deformação. O diagnóstico é baseado na história clínica e anamnese. Se o animal apresentar otohematoma como consequência de otite externa é também recomendado exames citológicos e antibiograma para identificação do agente etiológico. Diferentes procedimentos podem ser realizados como tratamento do otohematoma, embora alguns não apresentem resultados satisfatórios devido a problemas no tempo de coagulação, perda de estética e eficiência do método utilizado. Dentre os procedimentos utilizados, o cirúrgico é rotineiramente o mais realizado, sendo a técnica de incisão em “S” a mais utilizada. O método de drenagem do conteúdo também é utilizado, porém deve-se levar em conta a fase em que a afecção se encontra e associá-la ao tratamento da otite se essa for o agente causador. Outra técnica utilizada é a colocação de drenos feitos de silicone e revestidos de borracha, mas esta técnica não se mostra muito eficiente, apresentando risco de formação de seroma e deformação. Para o tratamento do otohematoma também pode ser empregado o método de aspiração, entretanto a utilização deste método é preferencialmente indicada para a fase inicial da lesão e para este procedimento o animal deverá ser sedado. O procedimento de aspiração apresenta dois problemas: ocorrência de reincidência da lesão e risco de infecção secundária. Como alternativa aos procedimentos cirúrgicos é feito aplicação de corticosteróides, o resultado deste método é considerado satisfatório quando comparado aos métodos cirúrgicos. Para prevenção do otohematoma é importante que qualquer alteração na coloração ou odor do cerúmen seja observada, bem como a sensação de dor na realização da limpeza do pavilhão auricular. Outros sinais de otite são observados como intolerância a mexer na cabeça, coceira do local e sacudir cabeça. Ao observar algum desses sinais é imprescindível procurar atendimento veterinário. Por Mariana Diniz, Médica Veterinária e Assistente Técnica da Ourofino Saúde Animal.

None

None

Tags