Meu cão chegou à terceira idade, e agora? (Parte 1)

13 ago 2014

Meu cão chegou à terceira idade, e agora? (Parte 1)

Atualmente está muito comum nos deparamos com nossos melhores amigos atingindo a terceira idade, não é mesmo? Essa longevidade está se tornando possível devido a diversos fatores e dentre eles podemos citar o maior cuidados por parte dos donos e os avanços em todos os campos da Medicina Veterinária, além de nutrição adequada às diversas fases e estilos de vida dos cães.

Um cão é considerado idoso a partir do terço final de sua expectativa de vida média, sendo que esta expectativa depende de seu porte e raça. Aqueles de pequeno e médio porte tendem a ter uma expectativa de vida maior. Sendo assim, demoram mais para envelhecer. Em contrapartida, os cães de porte grande ou gigante são considerados idosos mais cedo - entre os seis e nove anos.

Envelhecimento é definido como um processo biológico complexo, que resulta na redução progressiva da capacidade do indivíduo manter o equilíbrio sob estresses fisiológicos internos e ambientais, aumentando assim suas chances de contrair doenças. O processo de envelhecimento por si só não deve ser encarado como uma doença e diversos fatores genéticos, ambientais e nutricionais podem influenciar sua evolução.

Na velhice dos cães ocorrem mudanças tanto físicas e fisiológicas quanto comportamentais. Nesta primeira parte abordaremos as mudanças que ocorrem no interior do organismo de um cão velhinho.  
Com o avançar da idade o metabolismo diminui, assim como a necessidade de diminuir calorias para evitar problemas como a obesidade, a alimentação deve ter níveis diminuídos de gorduras e aumento de fibras. Felizmente hoje em dia no mercado temos algumas opções de rações especiais para nossos idosos.

A artrite é bastante frequente em cães idosos e assim como nos humanos, ela pode causar apenas uma rigidez nos movimentos ou tornar-se debilitante, interferindo na mobilidade do animal. Alguns podem apresentar dificuldade em subir e descer escadas, pular para dentro do carro, etc. A artrite gera dores articulares que provocam situações desconfortáveis que podem levar a alterações no padrão de sono e de outros fatores como dificuldades de urinar, defecar e redução de apetite.

À medida que envelhecem, os cães diminuem seus níveis de atividade, fazendo com eles passem a maior parte do tempo deitados, o que induz o aparecimento de calos principalmente nos cães de raças grandes. O aparecimento dos calos é mais frequente na região dos cotovelos e naqueles animais que repousam sob superfícies duras. É imprescindível fornecer um local confortável para seu melhor amigo descansar. Ainda como sinal do avançar da idade, as unhas se tornam mais quebradiças e as “almofadas” das patas ficam com a pele mais espessa.

Durante o envelhecimento vários órgãos do corpo do cão têm suas funções diminuídas como, por exemplo, o coração, os rins, o fígado e os pulmões. Há diminuição também dos movimentos intestinais (prisão de ventre) e da capacidade do sistema de defesa em proteger o organismo.

Os velhinhos machos apresentam alterações na próstata (aumento) enquanto as fêmeas apresentam alterações nas glândulas mamarias (endurecimento). Ambos geralmente sofrem com alterações hormonais e também com alterações na produção de células sanguíneas podendo desenvolver anemia.

Finalizando essa primeira parte, vale ressaltar que a doença dental é muito comum em nossos velhinhos de quatro patas. Consultas odontológicas de rotina e escovação são muito bem vindas.

Na próxima parte abordaremos algumas mudanças físicas que trazem consequências no comportamento de nossos amigos na terceira idade. Não Percam!

 

Referências bibliográficas:

Cães idosos: mudanças de comportamento. Disponível em: http://tudosobrecachorros.com.br/2013/12/caes-idosos-mudancas-de-comportamento.html

Cuidados que seu cachorro merece na velhice. Disponível em: http://www.caocidadao.com.br/artigo/cuidados-que-seu-cao-merece-na-velhice/

Envelhecimento normal e as alterações esperadas em cães idosos. Disponível em: http://tudosobrecachorros.com.br/2013/12/envelhecimento-normal-e-alteracoes-esperadas-em-caes-idosos.html

As mudanças de comportamento dos cães idosos. Disponível em: http://webcachorros.com.br/mudancas-de-comportamento-dos-caes-idosos/

Cuidando do seu cachorro na melhor idade: veja dicas para cuidar dos cães idosos. Disponível em: http://www.agendapet.com.br/2014/01/cuidando-do-seu-cachorro-na-melhor-idade-veja-dicas-sobre-como-cuidar-dos-caes-idosos.html

GOLDSTON, R.T. Introdução e Revisão de Geriatria. In: Geriatria e Gerontologia Cão e Gato. Capitulo 1. p. 1-12. Editora Roca, São Paulo, 1999.

Mariana Castelhano Diniz

Médica Veterinária e Analista Técnica na Ourofino Saúde Animal (Unidade Pet)

Tags