Indução de ciclicidade é uma importante estratégia para incrementar a taxa de prenhez à IATF em novilhas

07 dez 2015

Indução de ciclicidade é uma importante estratégia para incrementar a taxa de prenhez à IATF em novilhas

As falhas reprodutivas podem afetar severamente a rentabilidade dos sistemas de cria, sendo que a idade à puberdade é um importante fator que impacta toda a produtividade futura das novilhas (Funston et al., 2012). No Brasil, a idade à puberdade de fêmeas zebu é estimada em 22-36 meses, projetando a idade ao primeiro parto para 44-48 meses (Nogueira, 2004). Quando comparadas às fêmeas taurinas, que podem atingir a puberdade ao redor dos 15 meses de idade, esse atraso observado nas novilhas zebu (ex. Nelore) pode ser atribuído tanto a fatores genéticos (Eler et al., 2002) quanto a fatores ambientais, incluindo nutrição, doenças e época de nascimento (Nogueira, 2004).

No sistema empregado atualmente em grande parte das fazendas de cria brasileiras, com a utilização de períodos restritos de cobertura, é necessário que a novilha atinja a puberdade antes do início da estação de monta. É sabido que novilhas que alcançam a puberdade mais cedo possuem melhor performance reprodutiva e maiores chances de reconcepção após o primeiro parto (Funston et al., 2012). Além disso, novilhas que possuem um corpo lúteo no início da estação de monta (ou seja, já estão ciclando) possuem maior taxa de prenhez à IATF quando comparadas às novilhas que não encontram-se cíclicas no início da estação e monta (Sá Filho et al., 2012).

Portanto, na tentativa de se incrementar a quantidade de novilhas com corpo lúteo ao início da estação de monta, diversos tratamentos hormonais, com o uso de progesterona e estrógeno, foram desenvolvidos para induzir a primeira ovulação dessas fêmeas jovens (Sá Filho et al., 2015). Tal exposição pode modular o funcionamento do eixo hipotálamo-hipofisário, aumentando a secreção de gonadotrofinas e induzindo a puberdade.

O primeiro ponto a ser discutido seria quando iniciar a indução de ciclicidade. Geralmente, são necessários de 2 a 3 ciclos estrais com fase luteínica normal (40 a 60 dias após a ocorrência da puberdade) para que a fêmea bovina adquira capacidade plena de conceber e levar a gestação a termo (Byerley, 1987). Em estudo recente, Sá Filho et al. (2012) avaliaram o efeito do momento no qual as novilhas atingiram a puberdade em relação a prenhez à IATF. Os autores avaliaram por ultrassonografia 512 novilhas pré-púberes, 90, 45 e 0 dias antes do início do protocolo para IATF. Os resultados estão expostos na figura 1.

Figura 1 – Efeito do momento da ocorrência da ciclicidade na taxa de prenhez à IATF de novilhas Nelore(adaptado de Sá Filho et al., 2012).

Os resultados demonstram que quanto antes as novilhas atingirem a puberdade, melhor para os resultados da IATF. Portanto, o protocolo de indução de ciclicidade pode ser realizado de 30 a 40 dias previamente à estação de monta das novilhas. Entretanto, se não houver tempo para tal, estudos indicam que os efeitos positivos da indução de puberdade já podem ser observados com 12 dias de intervalo entre a indução e o início do protocolo para IATF.

O protocolo para indução de ciclicidade é baseado na inserção de dispositivo intravaginal de progesterona (Sincrogest) previamente utilizado, que permanecerá durante 12 dias. Após esse período, o dispositivo é retirado e realiza-se a aplicação de uma fonte exógena de estrógeno (Sincrodiol ou SincroCP). Recentemente, dados preliminares envolvendo a tese de doutorado de Kleber Menegon Lemes (VRA – FMVZ/USP, 2014) indicam que a substituição do dispositivo Sincrogest por uma injeção de Sincrogest injetável pode promover resultados interessantes, podendo ser uma estratégia para fazendas que não possuam o dispositivo previamente utilizado (Figura 2 – protocolos para indução de ciclicidade; Figura 3 – resultados da indução de ciclicidade com o dispositivo Sincrogest previamente utilizado ou Sincrogest injetável – dados preliminares, 2014).


Figura 2. Protocolos Ourofino para indução de ciclicidade em novilhas pré-púberes.


Figura 3. Resultados da indução de ciclicidade utilizando-se o dispositivo Sincrogest 3º uso ou Sincrogest injetável (Lemes et al. – VRA – FMVZ/USP; dados preliminares - 2014).

Obedecendo-se as premissas de uma nutrição adequada, aliada à escolha de base genética para precocidade sexual, a antecipação da puberdade por meio dos protocolos de indução de ciclicidade pode ser uma importante estratégia a ser adotada. Segundo dados da literatura (Sá Filho et al. 2015), tal técnica pode ser utilizada para incrementar a taxa de prenhez à IATF de novilhas que, antes da realização do protocolo de indução de ciclicidade, encontravam-se pré-púberes (Figura 4).


Figura 4. Taxa de indução de ciclicidade e taxa de prenhez, de acordo com os diferentes tratamentos (Controle = sem tratamento prévio à IATF; Induzidas = protocolo de indução de ciclicidade previamente à IATF; adaptado de Sá Filho et al., 2015).

 

Referências:

BYERLEY, D.; STAIGMILLER, R. Pregnancy rates of beef heifers bred either on puberal or third estrus. Journal of animal science, v. 65, p. 645–650, 1987.

FUNSTON, R. N.; MUSGRAVE, J. A.; MEYER, T. L.; LARSON, D. M. Effect of calving distribution on beef cattle progeny performance. Journal of animal science, v. 90, n. 13, p. 5118–21, dez. 2012.

LEMES, K. M.; Comparação da eficiência de diferentes formulações à base de progesterona para indução de ciclicidade em novilhas da raça Nelore. Tese (Doutorado em Reprodução Animal). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Pirassununga - São Paulo. Orientador: Prof. Dr. Ed Hoffmann Madureira (dados preliminares), 2014.

NOGUEIRA, G. P. Puberty in South American Bos indicus (Zebu) cattle. Animal reproduction science, v. 82-83, p. 361–72, jul. 2004.

ELER, J. P.; SILVA, J. A. I. I. V; FERRAZ, J. B. S.; DIAS, F.; OLIVEIRA, H. N.; EVANS, J. L.; GOLDEN, B. L. Genetic evaluation of the probability of pregnancy at 14 months for Nellore heifers. Journal of animal science, v. 80, n. 4, p. 951–954, 2002.

SÁ FILHO, M. F.; MONTEIRO, B. M.; MENDANHA, M. F.; SOUZA, A. A.; GIROTTO, R. W.; SIQUEIRA, G. R.; BARUSELLI, P. S. Manejo reprodutivo estratégico e IATF em novilhas e vacas primíparas zebuínas de corte. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REPRODUÇÃO ANIMAL APLICADA, 5., Londrina, 2012. Anais... Londrina, 2012.

SÁ FILHO, M. F.; NASSER, L. F. T.; PENTEADO, L.; PRESTES, R.; MARQUES, M. O.; FREITAS, B. G.; MONTEIRO, B. M.; FERREIRA, R. M.; GIMENES, L. U.; BARUSELLI, P. S. Impact of progesterone and estradiol treatment before the onset of the breeding period on reproductive performance of Bos indicus beef heifers. Animal reproduction science, 30 jun. 2015.

 


 

 

Bruno Gonzalez de Freitas

Especialista técnico em reprodução animal – Departamento técnico Ourofino Saúde Animal

Tags