09 fev 2011

Criação de Bezerras e Novilhas Leiteiras

Parte I – Cuidados básicos Um dos grandes desafios da bovinocultura leiteira está na criação de bezerras e novilhas de reposição, que tem o objetivo de obter animais de qualidade para substituir as vacas que serão descartadas e conseguir uma melhoria do rebanho leiteiro. Para a reposição ser viável, deve-se ter como meta a redução dos custos no sistema de produção, a redução da idade à puberdade e ao primeiro parto e com morfologia que otimize a produção de leite sem causar problemas ao nascimento com partos distócicos, por exemplo. Como os animais jovens ainda não são produtivos e apresentam um custo para a propriedade, a falta de atenção à nutrição pode interferir no crescimento e retardar a entrada na fase produtiva. Alguns fatores podem ser considerados e analisados para melhorar a eficiência da propriedade: Cuidados com a vaca gestante: deve-se receber alimentação adequada e suficiente para as suas necessidades, tanto de mantença como de produção. Atenção especial à vacinação que deve ser bem feita. A correta vacinação possibilita a produção de anticorpos que passará para as bezerras pelo colostro ajudando na imunidade do recém-nascido. Colostro: todos os cuidados com o animal recém-nascido devem ser tomados principalmente em relação à ingestão de colostro. Deve-se acompanhar a ingestão para garantir a qualidade e os horários para que a transferência de imunidade seja a máxima possível. O colostro é importante, pois apresenta composição diferente do leite. Possui mais proteínas, gorduras e minerais e contém menos lactose. O seu fornecimento deve ser feito imediatamente após o parto, não devendo ultrapassar de 3 a 6 horas após o nascimento. Uma quantidade estimada é ao redor de 5% do peso do bezerro. Alguns autores sugerem a quantia mínima de 2 litros. Existem várias técnicas que possibilitam o congelamento de colostro para o armazenamento e uso futuro. Cura de umbigo: vários problemas de saúde podem ser sanados com a correta cura do umbigo. Na prática, após o nascimento o umbigo deve ser cortado e desinfetado ou “queimado” com iodo entre 7 a 10%. A desinfecção deve ser repetida a cada 12 horas, durante dois dias consecutivos. Identificação dos animais: todos os animais devem ser pesados e identificados. Podem ser usados brincos, colares ou tatuagens e o correto é fazê-lo logo após o nascimento para não confundir os nascimentos em propriedades que tenham mais de um nascimento por dia. É importante pesar corretamente os animais quando nascem para fazer a relação de ganho de peso no período de aleitamento e estimar o potencial de crescimento. Quando colocar os brincos, deve ser feita a assepsia da orelha e aplicar um repelente e cicatrizante (Lepecid BR Spray Ourofino) no local. Limpeza e desinfecção do ambiente: todo o ambiente dos bezerros deve ser limpo, ter água limpa e de boa qualidade e com uma parte coberta para evitar raios solares diretos. É importante fazer a desinfecção com CB-30 TA Ourofino na diluição de 1:2000. Por: Carla Maris Machado Bittar e Renato Guarda

None

None