13 nov 2018

Você conhece o Sistema Voisin?

O nome é diferente, mas certamente você já deve ter ouvido falar sobre ele. Esse sistema intensivo de manejo do gado e da pastagem foi criado em 1950 pelo francês André Voisin. Porém somente em 1964 é que esse sistema de pastoreio chegou ao Brasil com o engenheiro-agrônomo e pecuarista Nilo Romero.

Nesse sistema a área de pastagem nativa é dividida em piquetes com cercas fixas. O animal deve permanecer poucos dias no mesmo piquete, para evitar que o gado coma a rebrota das forrageiras. Dessa forma, o pasto é preservado e o rebanho tem sempre alimentação de boa qualidade, o que pode influenciar positivamente em seu desempenho. Além do mais, é uma tecnologia ecológica, porque utiliza a forrageira nativa, favorece a biodiversidade e evita as agressões ao solo. A adubação com esterco animal é preconizada.

O pecuarista Marcelo Alexandre (foto abaixo), proprietário da Cabanha Quinta dos Ganchos de Governador Celso Ramos, em Santa Catarina, utiliza o Sistema Voisin. A propriedade trabalha com cruzamento industrial na modalidade tricross e engorda por ano mais de 1500 animais. “Nosso rebanho tem ¼ de sangue europeu e é criado totalmente a pasto. Aqui temos 400 piquetes no Sistema Voisin com o capim nativo e todos eles têm um cocho de água de mesma extensão. A troca de piquete é diária e o boi só volta no mesmo piquete 21 dias depois com isso, ele acostuma com a presença humana e não sofre com estrese”, explica o pecuarista.

O sistema também trouxe índices produtivos importantes para a engorda. “Aqui na Cabanha o pasto é plano e o boi não caminha muito, evitando a queima de calorias. Com o tricross estamos conseguindo excelente acabamento de carcaça, precocidade e marmoreio. No verão o gado ganha mais peso, em torno de 1kg por dia e no inverno de 300 a 750 gramas. Conseguimos produzir 250Kg em média de carcaça por animal ano”, disse.

Tags


Deixe o seu comentário