22 fev 2019

Alimentação diferenciada para produção de leite em Sergipe

E se não fosse a palma? É a pergunta que muitos produtores sergipanos devem fazer. Por causa da seca e da ausência de pastagem, o cacto - planta típica do Nordeste e conhecida como palma - é usado na alimentação dos animais para intensificar a produção. Depois de colhida, a planta é cortada ou triturada para ser misturada ao concentrado. “A palma é rica em água, mas não possui tanta fibra. Por isso, ainda acrescentamos na dieta o bagaço de cana-de-açúcar que possui muitas fibras”, explica Ismar Farias (foto), engenheiro agrônomo e produtor de leite na fazenda Riacho Grande em Nossa Senhora da Glória (SE).

Em breve no Ourofino em Campo, saiba tudo sobre o cultivo da palma.

Probiótico na dieta

Para equilibrar a microbiota intestinal e promover a melhor conversão alimentar, muitas fazendas do Alto Sertão do Sergipe adotaram na dieta o probiótico. “Com o Departamento Técnico da Ourofino, visitamos propriedades e estamos fazendo o acompanhamento nutricional do rebanho. Muitos clientes viram o resultado imediato com a utilização do Probios Precise, inclusive na diminuição de acidose ruminal. Para produzir com qualidade, o rúmen da vaca também precisa estar com a saúde em dia”, explica o médico-veterinário Éder Cardoso.

Tags


Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.


Deixe o seu comentário