27 jul 2018

Aditivos probióticos melhoram a vida produtiva do rebanho

Profissionais da Ourofino orientam sobre os benefícios da administração desses produtos e os incrementos nos resultados das fazendas

O cuidado com os animais evolui a cada dia. O mercado responde à modernidade e às necessidades atuais com produtos mais eficientes e novas tecnologias. Um exemplo desse desenvolvimento são os aditivos probióticos, capazes de auxiliar na produtividade das fazendas e na segurança alimentar do rebanho.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), os probióticos contêm micro-organismos vivos e viáveis que promovem a recomposição do trato digestivo dos animais. Eles podem atuar no rúmen e no intestino simultaneamente, ou de maneira individualizada, e ajudam a elevar a quantidade de bactérias benéficas, o que melhora a digestão, absorção de nutrientes e manutenção do status imunológico.

A utilização dos probióticos é importante no contexto atual, em que os bovinos são selecionados para altas produções e, consequentemente, têm uma dieta com alto consumo de grãos. Como resultado, os animais apresentam graus variados de acidose ruminal e intestinal, tornando-os menos produtivos. “Assim, a utilização dos probióticos é uma ferramenta valiosa para a manutenção da saúde do rebanho”, explica Janielen da Silva, analista técnica da Ourofino Saúde Animal.

A especialista também orienta que o uso dos aditivos probióticos se faz necessário em diversas etapas produtivas. Nas vacas produtoras de leite, por exemplo, eles promovem a exclusão competitiva por sítios de ligação para melhor absorção dos nutrientes, inibem a multiplicação de micro-organismos patogênicos, por meio da síntese das bacteriocinas, estabelecem a ativação do sistema imune pela interação com as placas de Peyer e as células epiteliais intestinais e previnem a acidose pelas leveduras presentes em sua composição.

Em bezerros na fase inicial de aleitamento, os resultados aparecem na melhoria da permeabilidade da mucosa intestinal, potencialização do sistema imune e prevenção da colonização por patógenos causadores de diarreia. Pietro Massari, consultor técnico da Ourofino, afirma: “Por meio desses ganhos, os bezerros têm melhor desenvolvimento, maior ganho de peso e, assim, desmamam mais pesados”.

Atento à evolução do mercado animal e aos ganhos da pecuária com o uso desses produtos, a Ourofino Saúde Animal possui em seu portfólio os probióticos Biobac e Probios Precise, sendo que este leva na composição três cepas exclusivas de Enterococcus faeciume aliadas à levedura Saccharomyces cerevisiae. Ambos os produtos promovem o equilíbrio e a biorregulação da microbiota intestinal, maximizam a eficiência alimentar e produtiva e protegem o trato gastrintestinal. “Simples de serem utilizados, os aditivos devem ser administrados uma vez ao dia, preferencialmente no primeiro trato”, ressaltam os especialistas da empresa.

Tags


Deixe o seu comentário