24 set 2018

Sincro eCG: eficácia testada e comprovada

Animais criados em regiões tropicais apresentam comprometimento na atividade reprodutiva após o parto devido principalmenteao inadequado manejo nutricional das fazendas. A ingestão de matéria seca acaba sendo priorizada para funções vitais de manutenção e de produção de leite em detrimento das funções reprodutivas. Dessa forma, a avaliação do escore de condição corporal (ECC) e da nutrição do rebanho torna-se importante para o manejo reprodutivo.

Diante desse cenário, o comprometimento nutricional promove a supressão na liberação de GnRH. Consequente, ocorre diminuição na frequência dos pulsos de LH, reduzindo a duração da onda de crescimento folicular e o diâmetro do folículo dominante. Dessa forma, esse folículo pré-ovulatório de menor tamanho tem menor capacidade ovulatória, os animais manifestam menos estro e emprenham menos com o protocolo de IATF.

Atualmente a gonadotrofina coriônica equina (eCG) compõe os protocolos de IATF para minimizar esse problema. A eCG é um hormônio glicoproteico produzido pelos cálices endometriais de éguas que se liga aos receptores de FSH e LH dos folículos. Esse mecanismo de ação promove maior crescimento do folículo, resultando em maior taxa de ovulação e melhor luteinização do corpo lúteo. Diante disso, a eCG é capaz de promover aumento da taxa de prenhez da IATF, principalmente em vacas de corte paridas ou com baixo escore de condição corporal (ECC).

Estudos evidenciam a importância da utilização da eCG nos protocolos de IATF:

Tabela 1. Taxa de concepção à IATF (%) de vacas tratadas ou não com eCG no momento da retirada dos dispositivos de progesterona

Na busca por estabelecer um maior rigor na produção do Sincro eCG, a Ourofino Saúde Animal desenvolveu e implementou um controle de qualidade que vai além dos testes tradicionais exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Todas as partidas de Sincro eCG passam por um rigoroso ensaio de estimulação do crescimento folicular de vacas antes da liberação para o mercado. Esse novo modelo de controle de qualidade é chamado de teste de bioatividade e é realizado na espécie-alvo do produto: a bovina.

Além dos testes laboratoriais exigidos pelo MAPA e dos testes de bioatividade realizados em todas as partidas previamente à comercialização, durante os anos de 2016, 2017 e 2018 foram conduzidos diversos testes comparativos de prenhez a campo, em diversas regiões do Brasil. Esses comparativos foram realizados seguindo um rigor científico para randomização dos animais nos tratamentos, garantindo não haver qualquer efeito que não as diferentes eCGs aplicadas (Figura 1).

Figura 1: Taxa de prenhez dos protocolos de IATF, utilizando-se outros eCGs do mercado ou o Sincro eCG.

Esses resultados comprovam a eficiência do produto em promover elevada taxa de concepção nos protocolos de IATF, de maneira semelhante às outras eCGs disponíveis no mercado.

Os comparativos de prenhez em todo Brasil evidenciam que o uso da eCG nos protocolos de IATF de fêmeas de corte é fundamental para que se possa atingir a máxima produtividade. Tais resultados mostram o comprometimento da Ourofino em sempre buscar novas formas para levar a nossos clientes produtos de eficácia comprovada.

Confira os testes de controle de qualidade do Sincro eCG no site http://link.ourofino.com/2b095

Bruno G. Freitas e Bruna M. Guerreiro

Especialistas técnicos em Reprodução Animal

Tags


Deixe o seu comentário