Artigos - Protocolo Ouro: ferramenta para aumentar o índice de prenhez

30 ago 2021

Protocolo Ouro: ferramenta para aumentar o índice de prenhez

Vacas de corte apresentam uma alta incidência de anestro no pós-parto devido à presença do bezerro e a baixa disponibilidade de forragem que diminuem a pulsatilidade do hormônio luteinizante (LH), resultando em um menor crescimento final do folículo dominante e consequentemente em uma menor taxa de ovulação. Uma das vantagens da IATF é induzir a ciclicidade nestas fêmeas, entretanto 20% não respondem e não ovulam no final do protocolo.

Com o objetivo de melhorar a resposta destas fêmeas ao protocolo e consequentemente aumentar a prenhez à IATF, a Ourofino desenvolveu o protocolo Pré-synch. Com ele, as fêmeas recebem uma aplicação de 1 mL de Sincrogest injetável, 10 dias antes do início do protocolo de IATF. Esta estratégia está bem consolidada e é responsável por incrementar em 7% a prenhez de fêmeas paridas.

Além do protocolo Pré-synch com o Sincrogest injetável, outras estratégias foram estudadas, como:

  • Uso do Sincroforte no momento da IATF nas fêmeas que não demonstraram cio.

Essa é outra estratégia importante para aumentar a prenhez à IATF. Vários estudos foram e estão sendo conduzidos e, até o momento, mais de 6.000 animais foram analisados. Os resultados demonstram um aumento de 11% de prenhez.

Com o propósito de reimaginar a saúde animal e trazer cada vez mais produtividade para os pecuaristas, a Ourofino desenvolveu o protocolo Ouro, que consiste na associação destas estratégias. Desta forma, todas as vacas paridas são submetidas ao protocolo Pré-synch e as que não apresentam cio, recebem uma dose adicional de Sincroforte no momento da IATF, conforme a figura abaixo:

Protocolo Ouro para vacas paridas Ourofino

Figura 1. Protocolo de IATF exclusivo Ourofino para vacas em anestro (paridas).

O estudo feito com o protocolo Ouro demonstrou um aumento de 8,1 pontos percentuais a mais na prenhez das vacas paridas que foram pré-sincronizadas, não demonstraram cio e que receberam a aplicação do Sincroforte no momento da IATF.

Gráfico 1. Prenhez por IA (%) de vacas paridas protocoladas com Pré-synch e não que manifestaram estro, recebendo ou não Sincroforte na IATF – Guerreiro et al., 2020.

IGOR MOTTA E BRUNA GUERREIRO

Especialistas Técnicos em Saúde Animal da Ourofino Saúde Animal

Tags

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.


Deixe o seu comentário