Artigos - Programa reprodutivo com IATF em novilhas de corte precoce (14 meses) já é uma realidade

20 jul 2015

Programa reprodutivo com IATF em novilhas de corte precoce (14 meses) já é uma realidade

O principal objetivo do manejo reprodutivo de novilhas em fazendas comerciais de cria e recria é a obtenção de fêmeas gestantes para realização da reposição do rebanho. Normalmente, a quantidade de fêmeas introduzida no início da estação reprodutiva é de 10 a 35% do número total de matrizes (Santos and Sá Filho, 2006). Entretanto, esta proporção é dependente da estabilidade do rebanho e dos índices zootécnicos obtidos, sendo que um dos principais gargalos da pecuária de cria brasileira é a elevada idade ao primeiro parto, acima dos 40 meses (Lôbo, 1998; Malhado et al., 2013; Nogueira, 2004; Souza et al., 1995).

Fatores genéticos e heterose, bem como fatores de desenvolvimento, tais quais idade, ganho de peso pré e pós-desmama e desenvolvimento do trato reprodutivo, além da manipulação farmacológica da primeira ovulação, podem afetar o advento da maturidade sexual e consequentemente o sucesso reprodutivo das novilhas (Day and Nogueira, 2013). Nesse contexto, ao se pensar na realidade brasileira e utilização de biotecnologias reprodutivas, a IATF pode resultar em incremento na taxa de prenhez e redução no custo por bezerro nascido quando utilizada em novilhas zebuínas de 24 meses de idade (Edwards et al., 2015), podendo ser indicada em fêmeas Nelore peripúberes ao redor dessa idade com relativo sucesso (Sá Filho et al., 2010).

Pensando-se no modelo taurino, no qual as fêmeas podem atingir a puberdade de 6 a 12 meses anteriormente às fêmeas zebuínas (Nogueira, 2004), cerca de 95% das novilhas na região central e nordeste dos EUA são cobertas pela primeira vez ao redor dos 12-14 meses de idade, resultando em idade ao primeiro parto de 24 meses (Day and Nogueira, 2013). Ao se transpor esse modelo para novilhas Nelore, a exata relação entre o desenvolvimento corporal e a eficiência reprodutiva tem sido estudada, com o objetivo de se elencar os fatores que influenciam a resposta ao protocolo de IATF. Em recente estudo com novilhas Nelore com média de 14 meses de idade (Freitas et al., 2014), observou-se efeito de diversos parâmetros de desenvolvimento corporal com o resultado da IATF. Fêmeas que possuíam maior ECC, peso, idade, gordura subcutânea e porcentagem de costela (tamanho da costela pela altura do animal) obtiveram melhores taxas de prenhez (tabela 1).

Tabela 1. Taxa de prenhez de novilhas da raça Nelore com média de 14 meses de idade, de acordo com os parâmetros de desenvolvimento. Adaptado de Freitas et al., 2014.

Isso significa que, desde que estabelecido adequado manejo nutricional, o qual propicie o desenvolvimento apropriado das novilhas ao início da estação de monta, a IATF pode ser uma ferramenta para se adiantar a idade à primeira cobertura com relativo sucesso, resultando em diminuição da idade ao primeiro parto de 3 anos para 2 anos de idade (figura 1). Com este manejo ocorre a redução do intervalo entre gerações, acelerando também o ganho genético do rebanho.

Figura 1. - Modelo hipotético de antecipação da idade ao primeiro parto de fêmeas da raça Nelore.

 

Outro ponto que deve ser ressaltado é a entrada das novilhas na estação de monta das vacas. A 1ª IATF do lote de novilhas pode ser realizada um mês após o início da estação reprodutiva das matrizes, pois dessa maneira as novilhas terão um mês à mais de idade para o ganho de peso e escore de condição corporal, que são fatores fundamentais para otimizar a eficiência reprodutiva nesta categoria. Ainda, se inseridas em um programa de ressincronização para 2ª IATF, pode-se obter aproximadamente 64% de novilhas prenhes com apenas 42 dias de estação de monta (figura 2).

Figura 2.Taxa de prenhez de novilhas Nelore com média de 14 meses de idade, após 1ªIATF, ressincronização (2ªIATF) e geral (1ªIATF + 2ªIATF – intervalo entre inseminações de 32 dias).

 

Uma precaução que se deve tomar é com a próxima estação reprodutiva das novilhas de 14 meses, que então serão primíparas de 24-26 meses. Fêmeas de primeira cria mantidas à pasto são frequentemente associadas a baixos índices reprodutivos em comparação às vacas pluríparas (Sá Filho et al., 2013) e apresentam o parto durante um período de crescimento, determinando que além do estresse do parto, da produção de leite e dos cuidados com o bezerro ainda necessitam dispensar nutrientes para crescer (Sá Filho et al., 2012). Entretanto, desde que mantido o desenvolvimento apropriado, com ganho de peso e ECC apropriados à estação de monta, primíparas de 24 meses podem apresentar índices satisfatórios de prenhez, igualando-se às primíparas de 36 meses (Freitas, et al. dados não publicados; figura 3).

1ªIATF, ressincronização (2ªIATF) e acumulada (1ªIATF + 2ªIATF).

 

A busca pela redução da idade ao primeiro parto, ou seja, a seleção de fêmeas com capacidade de iniciar sua vida produtiva precocemente, faz parte dos requisitos para o rebanho de corte zebuíno se tornar cada dia mais produtivo, incrementando o retorno financeiro das propriedades de corte brasileiras. Entretanto, é evidente a necessidade de um bom desenvolvimento corporal das novilhas submetidas à estação reprodutiva precoce e à sua próxima estação, quando então serão primíparas. Isso só pode ser alcançado com adequado manejo de nutrição e sanidade, aliados a uma genética de qualidade. Portanto, desde que as fêmeas adquiriam os padrões de desenvolvimento necessários, a antecipação da primeira cobertura (14 meses de idade) das novilhas pode ser realizada com sucesso.

 

 

Referências:

Day, M.L., Nogueira, G.P., 2013. Management of age at puberty in beef heifers to optimize efficiency of beef production. Anim. Front. 3, 6–11. doi:10.2527/af.2013-0027

Edwards, S.A.A., Bo, G.A., Chandra, K.A., Atkinson, P.C., McGowan, M.R., 2015. Comparison of the pregnancy rates and costs per calf born after fixed-time artificial insemination or artificial insemination after estrus detection in Bos indicus heifers. Theriogenology 83, 114–20. doi:10.1016/j.theriogenology.2014.08.017

Freitas, B.G., Mingoti, R.D., Ramos, L., Vasconcellos, G.S.F.M., Crepaldi, G.A., Monteiro, B.M., Guerreiro, B.M., Vieira, L.M., Sá Filho, M.F., Baruselli, P.S., 2014. Evaluation of different nutritional and physical development parameters on reproductive efficiency of Nellore heifers at 13 months of age submitted to FTAI. Anim. Reprod. 11, 343.

Lôbo, R.N.B., 1998. Genetic parameters for reproductive traits of zebu cows in the semi-arid region of Brazil. Livest. Prod. Sci. 55, 245–248. doi:10.1016/S0301-6226(98)00142-0

Malhado, C.H.M., Malhado, A.C.M., Martins Filho, R., Carneiro, P.L.S., Pala, A., Adrián Carrillo, J., 2013. Age at first calving of Nellore cattle in the semi-arid region of northeastern Brazil using linear, threshold, censored and penalty models. Livest. Sci. 154, 28–33. doi:10.1016/j.livsci.2013.02.021

Nogueira, G.P., 2004. Puberty in South American Bos indicus (Zebu) cattle. Anim. Reprod. Sci. 82-83, 361–72. doi:10.1016/j.anireprosci.2004.04.007

Sá Filho, M.F., Monteiro, B.M., Mendanha, M.F., Souza, A.A., Girotto, R.W., Siqueira, G.R., Baruselli, P.S., 2012. Manejo reprodutivo estratégico e IATF em novilhas e vacas primíparas zebuínas de corte, in: 5o Simpósio Internacional de Reprodução Animal Aplicada [V International Symposium on Applied Animal Reproduction]. pp. 49–81.

Sá Filho, M.F., Penteado, L., Reis, E.L., Reis, T. a N.P.S., Galvão, K.N., Baruselli, P.S., 2013. Timed artificial insemination early in the breeding season improves the reproductive performance of suckled beef cows. Theriogenology 79, 625–632. doi:10.1016/j.theriogenology.2012.11.016

Sá Filho, M.F., Torres-Júnior, J.R.S., Penteado, L., Gimenes, L.U., Ferreira, R.M., Ayres, H., Castro E Paula, L.A., Sales, J.N.S., Baruselli, P.S., 2010. Equine chorionic gonadotropin improves the efficacy of a progestin-based fixed-time artificial insemination protocol in Nelore (Bos indicus) heifers. Anim. Reprod. Sci. 118, 182–7. doi:10.1016/j.anireprosci.2009.10.004

Santos, J.E.P., Sá Filho, M.F., 2006. [Nutrition and reproduction in cattle], in: 2o Simpósio Internacional de Reprodução Animal Aplicada [II International Symposium on Applied Animal Reproduction]. pp. 30–53 [in portuguese].

Souza, E.., Milagres, J.., Silva, M.., Regazzi, A.., Castro, A.G.C., 1995. Influências genéticas e de meio ambiente sobre a idade ao primeiro parto em rebanhos de Gir leiteiro. Rev. Soc. Bras. Zootec. 24, 926–935.

 

 

Bruno Gonzalez de Freitas; Rodolfo Daniel Mingoti; Laís Mendes Vieira; Manoel Francisco de Sá Filho; Pietro Sampaio Baruselli

Departamento de Reprodução Animal – FMVZ/USP

Tags


Deixe o seu comentário