25 jan 2011

Produção avícola vs. Cascudinho

Os sistemas atuais de criação de aves de corte incluem uma alta densidade de animais por metro quadrado e a reutilização da cama por vários lotes. Estima-se que no 1º trimestre de 2010 foram produzidas 2,5 milhões de toneladas de cama de aviário, sendo sua reutilização importante para a redução dos custos de produção e dos impactos ambientais. Porém, esses fatores proporcionam condições ideais de temperatura e umidade para a proliferação do cascudinho que é considerado uma das principais pragas da avicultura moderna. O cascudinho (Alphitobius diaperinus) é um inseto da família Tenebrionidae, originário do oeste africano comumente encontrado em grãos armazenados e em galpões de criação de frangos de corte, matrizes e perus. Alimentam-se basicamente de fezes, carcaças e restos de ração, facilitando sua adaptação em aviários. Seu ciclo de vida dura aproximadamente 50 a 70 dias e sua forma adulta possui grande atividade noturna, sendo encontrada durante o dia sob a cama, em comedouros (Figura 1), em bebedouros ou em frestas presentes nas instalações do aviário. O cascudinho é considerado uma praga às instalações. Devido ao hábito de escavar galerias no solo para abrigar-se e/ou colocar ovos, esses insetos danificam cortinas e sistemas de isolamento em galpões climatizados. Outro efeito associado à presença do cascudinho nos aviários deve-se ao fato de as aves ingerirem as larvas e os insetos adultos, levando à redução nos índices zootécnicos. Podemos destacar que em um galpão com 18.000 aves (1.200 m2) estima-se uma perda de 172 g/ave, o que representaria 3.000 Kg de carne a menos. Ao serem ingeridos, esses insetos liberam substâncias tóxicas como, por exemplo, as quinonas, que causam lesões hepáticas (fígado friável) e condenação desse órgão. É considerado um reservatório de diversos micro-organismos patogênicos como Eimeria spp., Salmonella spp., Clostridium spp., vírus de Gumboro, entre outros que, além de acarretar prejuízos à saúde das aves, aumentam o risco de contaminação da carcaça no abatedouro. Para evitar perdas na produção das aves, deve-se tornar o ambiente impróprio para a infestação e proliferação do cascudinho. Portanto, sacos de alimento devem ser estocados em uma área fora do ambiente de criação e, após a retirada do lote, em aviários que reutilizam a cama, essa deve ser tratada através da fermentação e também com métodos químicos para o controle deste inseto. Com o propósito de diminuir as perdas causadas por essa praga, a Ourofino desenvolveu o “Programa de Manejo Integrado para o Controle do Cascudinho (Alphitobius diaperinus) em Aviários”. Confira o programa na íntegra. Figura 1 – Cascudinhos sob o comedouro em aviário de frango de corte (Esq.) e sobre a cortina/forração (Dir.). Por: Departamento Técnico de aves e suínos.

None

None


Deixe o seu comentário