Artigos - Módulo 3: texto 4 - Uso do ultrassom para diagnóstico de patologias uterinas e ovarianas

20 jun 2015

Módulo 3: texto 4 - Uso do ultrassom para diagnóstico de patologias uterinas e ovarianas

As patologias uterinas e ovarianas causam sérios problemas reprodutivos aos animais, principalmente por impedirem que estes fiquem gestantes.

No dia-a-dia das fazendas dificilmente essas patologias são diagnosticadas, principalmente nos animais que apresentam uma alteração subclínica. Estes apresentam cio normal, muco cristalino e intervalo regular entre os cios (em média 21 dias), mas não ocorre a concepção, tornando-se animais improdutivos. As patologias uterinas são classificadas de acordo com o tempo que ocorre no pós-parto e o tecido acometido em: metrite puerperal aguda, piometra (Figura 1), endometrite subclínica e endometrite clínica. Já as principais patologias ovarianas mais frequentes são os cistos foliculares (Figura 2) e luteínicos (Figura 3), que ocorrem devido a desordens hormonais, principalmente no pós-parto de vacas leiteiras.

O uso do ultrassom para o diagnóstico destas patologias é uma ferramenta fundamental, pois a palpação retal nem sempre permite este diagnóstico. Assim, a visualização de todo o útero e ovário através de um ultrassom traz uma segurança muito grande para o médico veterinário nos diagnósticos e permite estabelecer tratamentos adequados. Com isso, o produtor tem um aumento dos índices reprodutivos, diminui o intervalo entre partos, gasto com doses de sêmen e torna o sistema eficiente.

Equipe Reprodução Animal - Ourofino

Tags


Deixe o seu comentário