11 dez 2018

Mastite em novilhas pode prejudicar produção de leite

A mastite se caracteriza por ser uma inflamação da glândula mamária, normalmente causada por microrganismos, sendo o problema de saúde mais prevalente em rebanhos leiteiros. Dentre os prejuízos econômicos decorrentes desta enfermidade podem-se destacar a redução na produção de leite, alterações na qualidade do leite, custos com mão de obra, diagnóstico e tratamento, e redução da longevidade dos animais. Além disso, a mastite pode ser um importante problema de saúde pública devido ao envolvimento de patógenos ou de suas toxinas que podem causar problemas de saúde aos humanos.

O principal objetivo de programas de controle da mastite é a implantação de medidas para redução de novas infecções e eliminação de infecções existentes. Para isso, a introdução de novilhas livres de infecções intramamárias no rebanho se torna uma das formas mais eficazes. No entanto, nos últimos 30 anos, inúmeras investigações vêm sendo feitas para mostrar que novilhas nem sempre estão livres de infecções na glândula mamária.

Dentre os problemas relacionados à mastite em novilhas estão a redução na produção de leite dos animais na primeira lactação e nas lactações subsequentes e o descarte precoce, sendo que, estes problemas acarretam enormes prejuízos aos produtores. A gravidade e os prejuízos da mastite em novilhas são influenciados principalmente pela forma da mastite (clínica ou subclínica), patógeno causador, persistência da infecção na glândula mamária e a imunidade do animal.

Portanto, levar em consideração o momento da primeira infecção na glândula mamária em novilhas é importante, pois se tratam dos animais de reposição do rebanho. Em contrapartida, esses animais normalmente não recebem a devida atenção, pois o produtor considera que, por não estarem em lactação, estão livres de infecções intramamárias, sem saber que podem ser portadores assintomáticos da doença. A falta de informação a respeito do assunto por parte dos produtores e técnicos pode significar perdas na produtividade e na rentabilidade da atividade leiteira, considerando que a introdução de fêmeas sadias ao rebanho é uma das formas mais eficazes de controle da mastite.

Além das infecções subclínicas, as novilhas também podem apresentar mastite clínica, sendo que, nestes casos, a realização de um protocolo de tratamento eficaz é de extrema importância para redução dos prejuízos causados por esta doença nestes animais. A linha de terapêuticos da Ourofino conta com protocolos de tratamento eficazes para o tratamento da mastite, por meio da utilização de Ciprolac, Maxicam 2% e Resolutor é possível eliminar as bactérias causadoras de mastite nestes animais.

Janielen da Silva e Marcelo Arne Feckinghaus

Departamento Técnico da Ourofino Saúde Animal

Tags


Deixe o seu comentário