Artigos - Manejo sanitário ferramenta que agrega valor na produção

07 set 2015

Manejo sanitário ferramenta que agrega valor na produção

O Brasil se destaca mundialmente quanto à produção de proteína animal, em especial, a de carne bovina. Assim, se fez necessário maximizar a produção, com isso aumentaram os desafios sanitários que se não tratados a tempo causam prejuízos ao pecuarista (Moreira, 2010).

Para minimizar ou até evitar que as doenças comuns ao sistema de produção causem prejuízos, é importante um programa de manejo sanitário, que consiste na atividade veterinária regularmente aplicada, mão-de-obra apta a realização de um manejo racional, visando o bem estar e a manutenção da saúde dos animais e livres de estresse (Radostits & Blood, 1986).

Um foco de doença infecto contagiosa de importância epidemiológica pode ocasionar embargo econômico e consequentemente uma significativa desvalorização no preço da arroba do boi. Essas exigências sanitárias tendem a aumentar nos próximos anos, visto a maior exigência dos consumidores, que procuram produtos alimentares suficientemente saudáveis, com qualidade elevada, a preços acessíveis e que cumprem normas em matéria de saúde e bem estar (Nogueira e Tonini, 2010).

Na pecuária de corte o programa de manejo sanitário será um auxiliar na produção animal, trazendo benefícios satisfatórios ao pecuarista. Com animais de genética selecionada, os demais processos de produção serão igualmente importantes: alimentação (volumoso e concentrado), água de qualidade e quantidade, sal mineralizado, infra estrutura, mão-de-obra e sanidade. Todos esses fatores alinhados favorecem os índices produtivos. O manejo sanitário adequado proporciona que o animal aumente o ganho de peso, porém, a falha, impede que os ganhos potenciais sejam evidenciados (Nogueira e Tonini, 2010).

Sabe-se que os animais terão desafios diferentes em cada fase de vida, necessitando de produtos e protocolos específicos. A Ourofino Saúde Animal visando garantir a sanidade do rebanho nacional dispõe do programa sanitário Voss que supre essas necessidades.

O Manejo sanitário na fase de cria é necessário desde a cura do umbigo até a desverminação entre 3-5 meses de idade, que pode resultar em um benefício no ganho de peso, em relação a animais não tratados (Costa e Borges, 2010). Nessa fase, indica-se o Voss Vital® (Ivermectina 1%) e o Voss Rico Oral.

A desmama é outro momento em que os animais serão submetidos a estresse devido à tentativa de adaptação ao novo grupo social, o que acarreta perda de peso e susceptibilidade a doenças. (Haddad e Mendes, 2010).

A fase de produção na bovinocultura é o período de alta exigência nutricional e sanitária para os animais. Os machos necessitam de alto potencial de crescimento muscular e ganho de peso. As fêmeas precisam atingir peso e tamanho adequado para entrar em um programa de reprodução (Medeiros et al., 2010). Na fase de produção a Ourofino tem as soluções Voss Produce, Voss Rico e o Voss Performa. A indicação desses medicamentos deve ser realizada de acordo com a realidade da fazenda.

O sucesso no programa sanitário está alicerçado na utilização: do calendário sanitário adequado para região; localização da propriedade; produtos e protocolos específicos; analise dos desafios; manejo racional priorizando o bem estar animal, com todos esses cuidados os animais conseguem expressar as suas características genéticas de produção e maximizar os resultados na propriedade.

 

Referencias:

BROOM, D.M.; FRASER, A.F. Comportamento e bem-estar de animais domésticos. 4.ed. Barueri: Manole, 2010. 438p.).

C. Del Fava1, J.R.P. Arcaro1, C.R. Pozzi1, I. Arcaro Júnior1, H. Fagundes1*,E.M. Pituco2, E. De Stefano, L.H. Okuda, S.A. Vasconcellos3.  MANEJO SANITÁRIO PARA O CONTROLE DE DOENÇAS DA REPRODUÇÃOEM UM SISTEMA LEITEIRO DE PRODUÇÃO SEMI-INTENSIVO.Arq. Inst. Biol., São Paulo, v.70, n.1, p.25-33, jan./mar., 2003.

Costa, J.A; Borges, A.F. Controle de Endoparasitos em bovinos de Corte In: Pires, V. A. Bovinocultura de corte. 1ed. v.2. Piracicaba: FEALQ, 2010. P.1149-1170.

Haddad, M.C; Mendes, Q.C. Manejo da estação de monta, das vacas e das crias In: Pires, V. A. Bovinocultura de corte. 1ed. v.1. Piracicaba: FEALQ, 2010. P.129-142.

Medeiros, R.P; Almeida, R; Lanna, D.P.D. Manejo da recria-Eficiência do crescimento da desmama à terminação In: Pires, V. A. Bovinocultura de corte. 1ed. v.2. Piracicaba: FEALQ, 2010. P.159-170.

MOREIRA, E. C. Importância do controle da sanidade animal sobre produtos de origem animal. Disponível em: http://www.simcorte.com/index/Palestras/s_simcorte/10_elvio.PDF. Acesso em: 12 ago. 2015.

Nogueira, M.P; Tonini, M.P. Programa Sanitário Custo ou Benefícios? In: Pires, V.A. Bovinocultura de corte. 1ed. v. 2. Piracicaba: FEALQ, 2010. P.1239-1249.

Luiz Felipe Bignardi

Estagiário Departamento Técnico Saúde Animal

Tags


Deixe o seu comentário