Artigos - Já ouviu falar de sarna em cães gatos? (Parte III)

23 fev 2015

Já ouviu falar de sarna em cães gatos? (Parte III)

Finalizando nosso papo sobre sarnas (você pode conferir aqui a parte I e a parte II), vamos abordar a sarna otodécica - popularmente chamada de sarna de ouvido.

O ácaro que causa este tipo de sarna é chamado de Otodectes cynotis e geralmente só causa problemas no ouvidos.

A sarna de ouvido pode afetar cães e gatos, mas frequentemente acomete mais os gatos. Alguns fatores podem estar relacionados a essa maior frequência nos gatos, como pelagem mais rala, habito de andar em grupos ou até mesmo uma diferença em seu sistema imunológico.

A sarna de ouvido é transmitida através do contato com animais infectados, sendo muito contagiosa para cães e gatos, mas não afeta os humanos. O ácaro causador se desenvolve bem em ambientes úmidos e escuros, tal como é o ouvido de cães e gatos.

Este parasita se alimenta de restos de pele e pode infestar tanto o interior da orelha quanto ao redor da mesma.

Os animais com sarna de ouvido costumar ter coceira intensa nos ouvidos que apresentam a cera de cor escurecida semelhante à cor de caramelo. A coceira é tanta que alguns animais adquirem o hábito de balançar a cabeça e podem até se tornarem agressivos como forma de tentar mostrar ao dono que algo está errado.

A sarna de ouvido muitas vezes pode ser confundida com outros problemas que afetam essa região do corpo de cães e gatos, tais como infecções bacterianas e/ou fúngicas. Para diagnosticar este tipo de sarna o médico veterinário faz um exame minucioso do ouvido do animal e coleta amostras de pele e da cera para exames complementares que vão identificar a presença do ácaro.

O tratamento consiste na limpeza do(s) ouvido(s) com produtos suaves e próprios para esta finalidade e a aplicação de medicações direto no(s) ouvido(s). Em casos em que o diagnostico é feito tardiamente os ácaros podem se espalhar para outros locais do corpo necessitando de um tratamento com xampus acaricidas também.

Para concluir, é importante lembrarmos que existem vários tipos de sarnas e que cada uma têm um tratamento diferente. Consulte sempre um médico veterinário, pois ele saberá identificar o que está incomodando o seu melhor amigo.

Por Mariana Castelhano Diniz

Médica Veterinária e Analista Técnica na Ourofino Saúde Animal (Unidade Pet)

Tags


Deixe o seu comentário