26 fev 2019

Infecções uterinas comprometem rentabilidade dos rebanhos leiteiros

A contaminação do útero ocorre frequentemente no momento do parto ou nos primeiros dias subsequentes. Esses agentes patogênicos devem ser eliminados durante o processo fisiológico de involução uterina. Entretanto, nesse momento pode haver comprometimento da função imune da fêmea e resultar no estabelecimento de diferentes quadros de afecções.

As infecções uterinas são responsáveis por importantes reduções na rentabilidade dos rebanhos leiteiros. Compreender os mecanismos envolvidos é fundamental para estabelecer a forma mais eficiente de tratamento.

Impacto reprodutivo

Afecções uterinas podem comprometer o bem-estar das fêmeas e gerar inúmeras perdas econômicas, principalmente associadas aos prejuízos reprodutivos, como:

  • Atraso na retomada da ciclicidade ovariana após o parto
  • Redução na capacidade de fertilização
  • Comprometimento no desenvolvimento embrionário
  • Redução na taxa de prenhez
  • Aumento no intervalo entre partos
  • Aumento do descarte prematuro por falhas reprodutivas

É importante que o endométrio das fêmeas esteja saudável para estabelecer e sustentar uma gestação. Para isso, as afecções uterinas devem ser tratadas de acordo com cada enfermidade e gravidade.

Lactofur reduz tempo para os animais estarem aptos à reprodução

Estudos mostram que o tratamento precoce de afecções uterinas utilizando Lactofur reduz o tempo para os animais estarem aptos à reprodução. Pesquisas recentes avaliaram o efeito do diagnóstico precoce e o tratamento com ceftiofur (Lactofur) para afecções uterinas no intervalo entre o parto e a liberação das fêmeas para reprodução (Saut et. al, 2017). Nesse estudo, os animais foram avaliados no momento do parto e 7, 10-15, 25-35 dias pós-parto e, ainda, semanalmente, até a liberação para reprodução. Foram realizados exames físico geral e específico do sistema reprodutivo feminino por meio da palpação e de ultrassonografia transretal, avaliação de conteúdo intrauterino e secreção vaginal. Os animais diagnosticados com retenção de placenta, metrite e endometrite foram tratados com Lactofur e acompanhados semanalmente até a involução uterina completa. Esse estudo mostrou que o diagnóstico precoce das doenças uterinas associado ao tratamento com Lactofur foi eficiente para reduzir os descartes involuntários e o tempo para os animais estarem aptos à reprodução [96,4% das vacas (162/168) foram liberadas com média de 40 dias pós-parto].

Bruno Gonzalez de Freitas e Bruna Martins Guerreiro

Especialistas técnicos em saúde animal na Ourofino Saúde Animal

Tags


Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.


Deixe o seu comentário