Artigos - Indução à lactação 2.0: coloque os números para trabalhar a seu favor ainda mais

15 fev 2022

Indução à lactação 2.0: coloque os números para trabalhar a seu favor ainda mais

A eficiência reprodutiva está diretamente relacionada com a produtividade, pois define o número de parições e, portanto, a quantidade de vacas que entrarão em lactação logo após o parto. O ideal é que esta fêmea emprenhe o mais o rápido possível após o período de espera voluntário. Entretanto, sabe-se que algumas fêmeas do rebanho encerram o período de lactação sem conseguir estabelecer uma gestação. Estas falhas reprodutivas comprometem a produtividade das fazendas, uma vez que provocam:

  • Aumento de descarte involuntário;
  • Redução do período produtivo;
  • Redução do número de animais para reposição;
  • Redução no progresso genético.

Nestes casos, uma estratégia é utilizar o protocolo de indução à lactação. Este protocolo mimetiza a ocorrência do parto e as alterações hormonais estimulam o desenvolvimento da glândula mamária e a produção de leite, fazendo com que esta fêmea inicie um novo período de lactação. Este protocolo pode ser utilizado também em novilhas, que tenham atingido o peso e estejam aptas à reprodução, mas que não emprenham.

O protocolo consiste na aplicação de alguns fármacos como progesterona, estrógeno, prostaglandina, somatotropina e corticosteróide. Esse conjunto mimetiza o perfil hormonal fisiológico presente no final da gestação (colostrogênese), fazendo com que o organismo da fêmea entenda que é o momento de produzir leite.

A Ourofino, em parceria com as universidades, desenvolveu um protocolo de indução à lactação, que 85% das fêmeas respondem e começam a produzir leite. Esta produção em média corresponde a 70% da produção de uma lactação fisiológica.

Entretanto, para que tenhamos mais sucesso, é necessário que esta fêmea seja selecionada e alguns critérios precisam ser levados em consideração:

  1. Produtividade;
  2. Escore de condição corporal;
  3. Sanidade (estarem saudáveis);
  4. Número de lactações.

Além disso, as fêmeas precisam ser submetidas ao protocolo de secagem completo e o protocolo só deve ser iniciado após 40 dias de período seco.

Protocolo de indução à lactação convencional

Figura 1. Protocolo de indução à lactação convencional (Mingoti et al., 2016 – ICAR)

Um novo protocolo de indução foi estudado e comparado com o protocolo convencional. A hipótese testada foi que o protocolo de indução à lactação 2.0 teria a mesma eficiência que o convencional, no entanto, com uma maior praticidade. Esta foi confirmada, uma vez que, tanto a taxa de resposta, quanto a produção de leite não diferiram entre os protocolos.

Taxa de fêmeas que responderam ao protocolo de indução à lactação convencional e 2.0 e começaram uma nova lactação.

Figura 2. Taxa de fêmeas que responderam ao protocolo de indução à lactação convencional e 2.0 e começaram uma nova lactação.

 

Figura 3. Produção de leite após as fêmeas terem sido submetidas ao protocolo de indução à lactação convencional e 2.0.

Além de possuir a mesma eficiência, o protocolo de indução à lactação 2.0 propicia aos animais um melhor bem-estar, devido ao menor número de manejos e aplicações.

Outra vantagem dos protocolos de indução à lactação é o retorno à função reprodutiva, sendo uma estratégia para incrementar a fertilidade de fêmeas repetidoras de serviço.

Igor Garcia Motta

Especialista Técnico em Reprodução Animal na Ourofino Saúde Animal

Tags

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.


Comentários

Andrino farias

Segunda-feira, 20 de Junho de 2022

Gostaria de algumas informações sobre os protocolos

Ourofino Saúde Animal

Terça-feira, 21 de Junho de 2022

Oi Andrino, tudo bem?

Claro, você pode entrar em contato com o meu time de atendimento pelo whatsapp 16 981818687 ou pelo 08009412000, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 17h.

igor

Sexta-feira, 03 de Junho de 2022

gostaria de mais informação sobre esse protocolo 2.0 e quem o desenvolveu.

Ourofino Saúde Animal

Sexta-feira, 03 de Junho de 2022

Oi Igor, tudo bem?

Obrigada pelo seu contato.

O protocolo foi desenvolvido pelo nosso time de especialistas técnicos (médicos veterinário) em parceria com uma universidade.

O protocolo foi enviado para o seu e-mail.

José Dimas Diniz Bastos

Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2022

Além de Veterínário, sou produtor de leite e já utilizo o protocolo de indução de lactação (antigo), desde que lançado pela Ouro Fino, e com sucesso; além do protocolo de IATF. Agora vou testar o protocolo 2.0. Grato.

Ourofino Saúde Animal

Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2022

Olá José Dimas, tudo bem?

Muito obrigada pelo sei feedback, ficamos muito felizes em receber.

Obrigada por confiar em nossos produtos e em nossas soluções.

Conte sempre conosco.

Ana

Time de relacionamento
Ourofino


Deixe o seu comentário