21 ago 2018

Imunologia básica: introdução e barreiras físicas à entrada de antígenos

De uma maneira geral todos os animais estão constantemente sob ameaça e suscetíveis a invasão de diversos microorganismos presentes, que podem ser representados por vírus, bactérias, fungos e protozoários. O sistema responsável pela defesa constante do organismo é denominado de sistema imunológico, formado por um conjunto de células, tecidos e moléculas.

A função deste sistema é o de prevenir infecções ou erradicar infecções estabelecidas. Animais saudáveis são, em muitos momentos, resistentes às invasões destes microorganismos, devido à presença de mecanismos complexos de defesas interligados que podem ser divididos em três (3) partes:

  • Barreiras Físicas
  • Imunidade Inata ou não específica
  • Imunidade adaptativa ou adquirida

Todas as células do sistema imune são produzidas a partir da medula óssea, por meio de células tronco hematopoiéticas, as quais produzem os eritrócitos (glóbulos vermelhos), responsáveis pelo transporte de gases no sangue, os leucócitos (glóbulos brancos) que possuem a função de defesa do sistema imune por meio da produção de diversas células de defesa, e as plaquetas que são fragmentos de células que participam da coagulação sanguínea (Figura 1).

Figura 1. Célula tronco hematopoiética.

Figura 2. Produção de células do sistema imune através de leucócitos.

Os leucócitos após serem produzidos ficam circulando no sangue por dias, semanas, meses ou até anos no nosso corpo. Sua produção é contínua e quando há alguma alteração na quantidade destas células, por exemplo, visto em exame de sangue, indica que está ocorrendo algum problema no local onde o sistema imunológico foi ativado.

Tipos de barreiras para evitar entrada de antígenos e microorganismos

Na tentativa de invadir o organismo de um animal, o agente agressor se depara com a primeira linha de barreia, representada por múltiplas camadas de defesa. Essas barreiras são compostas por:

  • Barreiras físicas: são responsáveis por impedir que o microrganismo consiga atingir regiões mais internas, representadas pelos tecidos e, assim, impedir o desenvolvimento de doenças. Essas barreiras são compostas por três (3) diferentes tipos:
  • Barreira mecânica: é representada pela pele íntegra e composta pela epiderme, rica em queratina e impede a entrada de microorganismos diversos. Os cílios e mucos nasais também são exemplos de barreira mecânica, que auxiliam a filtrar o ar, fazendo com que os microorganismos fiquem aderidos a estes cílios e muco, e impedindo que entrem no corpo.
  • Barreira microbiológica: é representada pela microbiota intestinal, estomacal, pulmonar, genital, superfície da pele e entre outras, que agem por exclusão competitiva, impedindo que agentes patogênicos se liguem aos receptores, impedindo que eles se multipliquem e acarretem em doenças.
  • Barreira química: é caracterizada por enzimas presentes na saliva, lágrimas e secreções nasais. Os ácidos graxos presentes no suor e suco gástrico, impedem que os microrganismos consigam atingir regiões alvo para desencadear doença por possuírem pH ácido.

ANDREA PANZARDI

ESPECIALISTA TÉCNICA AVES E SUÍNOS

Tags


Deixe o seu comentário