Artigos - A condição corporal como importante parâmetro para a reprodução de bovinos

17 nov 2014

A condição corporal como importante parâmetro para a reprodução de bovinos

O conhecimento da relação entre a nutrição e a reprodução é de fundamental importância para a tomada de decisões, tanto pela busca de eficiência produtiva de um rebanho, quanto para obter bons índices reprodutivos na estação de monta e em programas de melhoramento genético, inseminação artificial em tempo fixo (IATF), transferência de embriões (TE) e fecundação in vitro (FIV).

O desempenho reprodutivo de fêmeas bovinas está relacionado ao estado nutricional, principalmente quando nos referimos ao início da puberdade de novilhas, a ciclicidade de vacas e o período gestacional. Neste sentido, é importante entender o direcionamento dos nutrientes após o consumo sendo que, o desvio de energia para as atividades reprodutivas acontecerá somente quando, a demanda para a manutenção dos processos vitais e para a reserva de nutrientes for suprida.  Portanto, a insuficiente ingestão de alimentos através de uma dieta mal formulada ou a escassez comum na época da seca é uma causa comum de infertilidade, atraso da puberdade e alta taxa de anestro especialmente nos rebanhos submetidos ao manejo extensivo.

A forma pela qual a carência alimentar pode afetar a reprodução está bem estabelecida e Brochart (1972) sugeriu as seguintes limitações:

 - Redução de FSH e Estrógenos: estros discretos ou ausentes, preparo inadequado do útero, menor resistência do útero a infecções como metrite, por exemplo.
 - Redução de LH: atraso ou ausência da ovulação, menor secreção de leite uterino, menor nível de progesterona produzida pelo corpo lúteo e comprometimento da gestação.
 - Outros: ação sobre motricidade e secreção tubária, ação sobre a secreção cervical, ação sobre secreção da mucosa vaginal.

Ainda, muitas fêmeas entram em balanço energético negativo (BEN) principalmente no pós-parto devido à baixa oferta de forragem, ao terço final da gestação (rápido crescimento fetal), à reduzida capacidade de ingestão (menor volume do rúmen por compressão causada pelo aumento do útero gravídico) e a produção de leite logo após a parição para a nutrição do bezerro. Assim, o BEN contribui para o atraso na atividade ovariana que acarreta ausência de exposição do útero à progesterona antes da primeira inseminação pós-parto. Tal fato reduz a taxa de concepção e aumenta o risco de perda de prenhez (SANTOS e SÁ FILHO, 2006).

Um dos métodos mais utilizados para avaliar o estado nutricional de uma fêmea bovina é através da avaliação do escore de condição corporal (ECC). Essa é uma estimativa subjetiva das reservas energéticas do tecido adiposo e baseia-se na aparência exterior do animal com relação a suas reservas de gordura corporal, as quais são diretamente influenciadas pelo BEN.

Para vacas de corte, é comumente utilizada uma escala de 9 pontos (WAGNER et al., 1988). No entanto, a escala de 5 pontos (MARLOWE et al., 1962) também têm sido descrita. Em ambas quanto menor a nota, mais baixo é o ECC.

Diversos estudos têm apontado que quanto maior a perda de condição corporal entre o parto e a primeira IA menor será a taxa de concepção quando comparado a animais com perda moderada (FERGUSON, 1994; DOMECQ et al., 1997). Ainda, a avaliação do ECC no início da estação de monta pode ter impacto na eficiência reprodutiva (Figura 1). Contudo, vale ressaltar que vacas de corte excessivamente condicionadas (ECC maior que 7 na escala de 1 a 10 e maior que 4 na escala de 1 a 5) podem ter dificuldades ao parto, além de altos custos de mantença comparadas aquelas com ECC moderado (COOKE et al., 2009).

Nas figuras 2 e 3 estão apresentados dois exemplos de condição corporal sendo um animal de extrema magreza (Figura2) e outro com condição intermediária (Figura 3).


Figura 1. Influência do escore de condição corporal (ECC), avaliados no início da estação de monta, na probabilidade de vacas tornarem-se gestantes. Adaptado de Cooke et al. (2009).


Figura 2. Exemplo de vaca com condição corporal baixa (ECC: 1,0; escala de 1 a 5). 
(Foto: Embrapa)


Figura 3. Exemplo de fêmeas bovinas com boa condição corporal (ECC: 3,5; escala de 1 a 5).
(Foto: Prof. Pietro S. Baruselli)

Assim, fica evidente que o estado nutricional pode ser determinante para o momento da retomada da ciclicidade em vacas no pós-parto que, consequentemente, interfere na taxa de prenhez e no intervalo entre partos do rebanho. Desta maneira, o desempenho reprodutivo está interligado ao ECC, podendo esse ser alterado pela suplementação alimentar para acelerar o processo de ciclicidade.

Pode-se concluir que a avaliação da condição corporal é importante parâmetro para prever os resultados da estação de monta. Além disso, é fundamental prevenir a acentuada perda de peso de matrizes entre o parto e o início da reprodução. Vale destacar que a nutrição adequada para o rebanho e os procedimentos reprodutivos deve ser formulada pelo Médico Veterinário responsável.

 

REFERÊNCIAS:

BROCHART, M. Alimentation et fertilité des vaches laitières. L'Elevage Bovin, Paris, v.3, p.53-59, 1972. 

COOKE, R. F., ARTHINGTON, J. D.; ARAUJO, D. B.; LAMB, G. C . Effects of acclimation to human interaction on performance, temperament, physiological responses, and pregnancy rates of Brahman – crossbred cows. Journal of Animal Science, v. 87, p. 4125-4132, 2009.

DOMECQ, J. J.; SKIDMORE, A. L.; LLOYD, J. W.; KANEENE, J. B. Relationship between body condition scores and conception at first artificial insemination in a large dairy herd of high yielding Holstein cows. Journal of Dairy Science, v. 80, p. 113–120, 1997.

FERGUSON, J. D.; GALLIGAN, D. T.; THOMSEN, N. Principal descriptors of body condition score in Holstein cows. Journal of Dairy Sceince, v. 77, p. 2695-2703, 1994.

MARLOWE, T. J.; FREUND, R. J.; GRAHAM, J. B. Influence of age, breed, flesh condition, nursing, and season on weight and grade of beef cattle. Journal of Animal Science, v.21, p.346–354, 1962.

SANTOS, J. P.; SÁ FILHO, M. F. Nutrição e reprodução em bovinos. Biotecnologias da Reprodução em Bovinos, v. 2, p. 30-54, 2006.

WAGNER, J. J.; LUSBY, K. S.; OLTJEN, J. W.; RAKESTRAW, J.; WETTEMANN, R. P.; WALTERS, L. E. Carcass composition in mature hereford cows: Estimation and 132 effect on daily metabolizable energy requirement during winter. Journal of Animal Science, v. 66, p. 603-612, 1988.

Jean Barros Pimenta

Discente Medicina Veterinária, Estagiário Departamento Técnico – Ourofino Saúde Animal

Tags


Deixe o seu comentário