24 set 2020

Como a endometrite pode afetar a saúde e a produtividade dos rebanhos

A endometrite é um dos maiores desafios dos rebanhos leiteiros, pois está diretamente associada com o desempenho reprodutivo da vaca. Além do prejuízo direto com diagnósticos e tratamento, a doença também:

  • Compromete o retorno da atividade ovariana
  • Pode atrasar a implantação de protocolos reprodutivos
  • Dificultar a taxa de sucesso na concepção, já que o nosso objetivo é fazer com que a vaca retorne aos seus ciclos ovarianos após 30 dias do parto e que tenha sua concepção confirmada até os 85 dias de parida.

As manifestações da endometrite

A endometrite pode ser clínica, com sinais como descarga vaginal mucopurulenta e presença de conteúdo intrauterino. A endometrite também pode acontecer na forma subclínica, na qual os sinais não são visíveis. Na forma citológica há o comprometimento da ciclicidade do animal, fazendo com que a vaca tenha repetição de cios e atrasos na confirmação da prenhez.

Esses impactos podem não ser facilmente mensurados, principalmente se o rebanho não adota correto registro dos animais e de cada evento importante, como data do parto, necessidade de auxílio no parto, presença de doenças associadas como metrite e retenção de placenta ou ainda, se não tem algum protocolo preventivo implantado.

Nas vacas de alta produção, que consideramos de alto desafio reprodutivo, esse impacto pode ser ainda maior, já que aliado à diminuição da ciclicidade pela presença da endometrite a vaca naturalmente já apresenta menor taxa de concepção ao primeiro serviço, maior duração do intervalo parto-concepção e aumento do número de serviços por concepção.

Pesquisas sobre endometrite

Um estudo recente observou que vacas com endometrite, seja clínica ou subclínica, tiveram atraso na quantificação da atividade do corpo lúteo em 3 dias e uma probabilidade 3 vezes maior de apresentar um perfil ovariano atípico no intervalo parto-concepção, quando comparadas a vacas saudáveis. Esses resultados nos mostram que a permanência da endometrite afeta diretamente os custos do produtor com a demora em protocolar esta vaca e ter a prenhez confirmada.

O diagnóstico precoceé fundamental para que possamos agir com rapidez no tratamento adequado e diminuir os prejuízos causados pela doença. Para a resolução do problema, a solução Ourofino para o tratamento adequado das endometrites é o combinação Lactofur + Sincrocio, que auxiliam na rápida recuperação do animal, garantindo melhor retorno aos protocolos de reprodução.

Estudo comprova que o diagnóstico precoce associado ao tratamento com Lactofur é eficaz no tratamento das afecções uterinas e que a maioria das vacas está liberadas para reprodução com 40 DPP2.

Bruna Guerreiro e Bruna Gomes

Departamento Técnico Ourofino Saúde Animal

Tags

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.


Deixe o seu comentário