Artigos - Aspectos sanitários de interesse na produção de carne de frango

07 mar 2016

Aspectos sanitários de interesse na produção de carne de frango

A carne de frango é uma das fontes proteicas economicamente mais acessíveis à população, tendo grande importância nutricional a nível mundial, o que gera uma demanda cada vez maior da commoditie. (IPEADATA, 2015). O aumento da inflação brasileira observada nos últimos tempos acarretou na diminuição do poder de compra da população e desvalorização do real, favorecendo a alta da moeda estrangeira e consequentemente impulsionando o aumento das exportações, principalmente no setor do agronegócio, único que se manteve em crescimento perante a crise. Dentre os produtos mais exportados pelo setor, está a carne de frango. Devido à viabilidade desta carne em relação à das outras espécies, conforme já exposto, a situação econômica também estimulou o consumo interno da carne de frango. (ABPA, 2015). Além disso, para atender à crescente demanda, a cadeia produtiva deve estar sempre atualizada e em constante evolução a fim de garantir um produto final que se enquadre às legislações vigentes e padrões de qualidade, atenda às exigências do mercado consumidor, proporcione lucratividade ao produtor e não prejudique o meio ambiente. (ABPA, 2015).

Um dos principais limitantes na produção avícola é o besouro Alphitobius diaperinus, popularmente conhecido como “cascudinho”, que se trata de um grande disseminador de enfermidades nos planteis avícolas, devido a seu contato direto com a cama, fezes, animais moribundos e por alimentar-se de animais mortos, servindo como veiculador de bactérias e outros microrganismos aos animais, podendo também, após o abate das aves, conferir risco sanitário aos consumidores. As aves possuem também preferência em alimentar-se do “cascudinho”, o que gera redução do consumo de ração e ganho de peso, piorando a conversão alimentar do lote e pode ainda, lesionar a mucosa entérica devido à rigidez do exoesqueleto deste inseto, gerando meio ideal para a instalação de microrganismos patogênicos. (BACK, 2002).

A infestação deste inseto em instalações avícolas é inevitável, todavia, tendo em vista o forte impacto causado pelos ectoparasitas e endoparasitas veiculados pelos mesmos na viabilidade da atividade, é indispensável ao sucesso produtivo, aliar medidas profiláticas ou de controle dos mesmos.

Buscando oferecer soluções a seus clientes, a Ourofino Saúde Animal, desenvolveu o Colosso Avicultura (Figura 1), ectoparasiticida exclusivo para a avicultura, eficiente no controle do “cascudinho” e piolho das galinhas que associa ativos de alta segurança e baixa toxicidade. O controle destes insetos permite indiretamente um controle de doenças de grande importância econômica na cadeia de produção de aves, de acordo com o agente em questão.

O produto deve ser administrado via pulverização em instalações avícolas destinadas à produção de aves de corte e de postura, sem a presença das aves no momento da aplicação e, posteriormente, aos procedimentos usuais de limpeza e desinfecção. Sua utilização não requer período de carência para o abate de aves ou para o consumo de ovos de aves alojadas em instalações que receberam o produto, contudo, deve-se manter as instalações sem a presença de aves por no mínimo 02 dias após a aplicação do produto.

O FOS 350 é um antimicrobiano bactericida a base de fosfomicina utilizada sob a forma de sal cálcico, permitindo maior estabilidade do produto para veiculação via água ou ração de aves da espécie Gallus gallus domesticus (frangos de corte, matrizes de frango de corte e poedeiras comerciais).

Figura 1. Colosso Avicultura e FOS 350 5 kg.

Além da qualidade Ourofino e de possuir maior eficácia e o menor tempo de carência do mercado, o medicamento conta com formulação exclusiva contendo vitamina C, agente imunomodulador, estimulando o sistema imunológico do animal (Silva et al., 2012).

O FOS 350 é indicado para controle e tratamento de enfermidades causadas tanto por bactérias Gram-positivas (+) quanto por Gram-negativas (-), dentre elas:

- Escherichia coli, responsável pela Doença Respiratória Crônica (DRC);
- Pasteurella multocida, responsável pela Cólera Aviária ou Pasteurelose;
- Salmonella Enteritidis, responsável pela Salmonelose;
- Staphylococcus aureus e Streptococcus sp., responsáveis pelas diarreias bacterianas.

Em um estudo in vitro e in vivo realizado pelo Deptº Técnico Aves & Suínos da Ourofino em parceria com um Laboratório no Oeste do Paraná, foi comprovada, respectivamente, a eficácia do FOS 350 frente a 5 diferentes sorovares de Salmonela (Gráfico 1) e a redução de excreção do agente pelo ceco, local de eleição das salmonelas paratíficas, em 3 diferentes sorovares, o que indica ser um produto de excelente ação frente a quadros de salmonela (Ourofino, 2016 – dados não publicados).


Gráfico 1. Concentração inibitória mínina (CIM) do FOS 350 x concorrente à base de fosfomicina em 5 diferentes sorovares de salmonela.

É importante ressaltar que as orientações e dosagens dos produtos recomendadas em bula devem ser seguidas rigorosamente, já que dosagens ou procedimentos inadequados podem levar à resistência bacteriana ou tornar o alimento de origem animal impróprio para o consumo.

 

Referências:

ABPA - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL. Destinos das Exportações Brasileiras de carne de frango em 2014. 2015. Disponível em: <http://abpa-br.com.br/setores/avicultura/mercado-externo>. Acesso em: 07 mar. 2016.

ABPA - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL. Estatísticas do Mercado Interno. Disponível em: <http://abpa-br.com.br/setores/avicultura/mercado-interno/frango>. Acesso em: 07 mar. 2016.

BACK, A. MANUAL DE DOENÇAS DE AVES. Cascavel: Coluna do Saber, 2002. 246 p.

IPEADATA. Ipeadata Preços. 2015. Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br/>. Acesso em: 07 mar. 2016.

SILVA, A.P.A., de Freitas B.J., Oliveira F.L.C., Iovacari S.M.F., de N´brega F.J. 2012. Terapia nutricional em queimaduras: uma revisão. Revista Brasileira de Queimaduras. v. 11 (3): p. 135-41.

Raphael Perini Caetano

Estagiário Departamento Técnico Aves & Suínos Ourofino Saúde Animal

Tags


Deixe o seu comentário