Blog Ourofino

Os melhores conteúdos em Saúde Animal

Como o uso de aditivos probióticos pode auxiliar na saúde dos animais de produção

Bovinos

Quarta-feira, 03 de Maio de 2017

Por Pietro Jacometti Massari, analista técnico na Ourofino Saúde Animal

A produção animal vem se desenvolvendo a cada ano e aderindo a novas técnicas e tecnologias. O setor pecuário, por exemplo, está em crescente evolução devido ao crescimento populacional, que exige o aumento da demanda por alimentos para atender o consumo.

Nesse cenário, aumenta também a preocupação com a segurança alimentar. Uma alternativa é o uso de aditivos probióticos na alimentação de animais de produção, seja ele para animais produtores de leite como para animais em terminação.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA (2011), o termo probiótico é definido como cepas de micro-organismos vivos e viáveis, que atuam auxiliando a recomposição da microbiota do trato digestivo dos animais, diminuindo os micro-organismos patogênicos ou indesejáveis.

Os aditivos probióticos atuam prevenindo a colonização de patógenos indesejáveis no intestino e auxiliam na diminuição do risco de acidose ruminal em vacas leiteiras, auxiliam na melhora da imunidade e consequentemente na melhora do desempenho (KREHBIEL 2003).

Vários autores (SAINZ et al. 2011, MAGNABOSCO et al. 2010, STEIN et Al. 2006) relatam os benefícios do uso dos aditivos probióticos. Alguns dos benefícios são a melhora na saúde do hospedeiro, o que melhora os índices produtivos e ainda auxilia na melhora do produto final.

Para realizar os benéficos descritos acima a marca Ourofino Referência conta com o Probios Precise, um aditivo probiótico que possui em sua composição três cepas exclusivas de Enterococcus faecium e a levedura Saccharomyces cerevisiae.

Segundo NEWBOLD et al. (1996) as leveduras vivas no ambiente ruminal possuem a capacidade de realizar atividade respiratória e consumir o oxigênio presente no rúmen. Mesmo por ser um ambiente anaeróbio, a fração gasosa no rúmen contém de 0,5 a 1% de oxigênio. O consumo de oxigênio pelas leveduras favorece o crescimento de bactérias que atuam na degradação de carboidratos estruturais, no caso as celulolíticas e as bactérias utilizadoras de lactato.

GARCIA (2008) relata que muitos estudos ainda estão sendo realizados, porém acredita-se que os benefícios aos hospedeiros acontecem através de quatro mecanismos de ação: a exclusão competitiva seja por nutrientes ou por sítios de ativação; síntese de bacteriocinas; prevenção de acidose ruminal; e ativação do sistema imune.

Portanto, o uso de aditivos probióticos como o Probios Precise traz benéficos aos animais de produção de diversas formas: auxilia na melhora da saúde ruminal e intestinal, aumenta a longevidade dos animais e incrementa os resultados.

A administração do Probios Precise deve ser realizada preferencialmente no primeiro trato do dia, na dose de dois gramas por animal por dia.

 

REFERÊNCIAS

GARCIA, G. R. Caracterização microbiológica e avaliação de uma cepa de Bacillus subtilis no desempenho de bezerros da raça holandesa. 2008. 68f. Tese (Doutorado em Microbiologia Agropecuária) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinária – Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita, Jaboticabal.

KREHBIEL, C. R.; RUST, S. R.; ZHANG, G.; GILLILAND, S. E. Bacterial direct-fed microbials in ruminant diets: Performance response and mode of action. Journal of Animal Science, Champaign, v. 81, (Suplemento especial 2), p.120 - 132, 2003.

MAGNABOSCO, C. U.; CARNEVALLI, R. A.; SAINZ, R. D.; FILGUEIRAS, E. A.; MAMEDE, M. M. S.; CASTRO, L. M. Probióticos melhoram a qualidade do leite de vacas Girolando. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 47, 2010, Salvador. Anais eletrônico... [CD-ROM], Salvador: SBZ, 2010.

MAPA, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa Nº 13, de 30 de novembro de 2004. Disponível em: http://extranet.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=con sultarLegislacaoFederal. Acesso em 24 de novembro de 2011a.

NEWBOLD C. J. et. al. 1996. Mode of action of the yeast Sacchavomyces cerevisiae as a feed additive for ruminants. British Journal of Nutrítion. 76(2): 249-261.

SAINZ, R. D.; MAGNABOSCO, C. U.; FILGUEIRAS, E. A.; GUIMARÃES, R.; FREITAS, F. M. C.; MATTOS, L. R. Effects of a direct-fed microbial and fibrolytic enzyme product on somatic cell counts in milk produced by crossbred dairy cows in the Brazilian Cerrado. Journal of Dairy Science, Champaing. v. 94, E-Suppl. 1: p. 126. 2011.

STEIN, D. R.; ALLEN, D. T.; PERRY, E. B.; BRUNER, J. C.; GATES, K. W.; REHBERGER, T. G.; MERTZ, K.; JONES, D.; SPICER L. J. Effects of feeding propionibacteria to dairy cows on milk yield, milk components, and reproduction. Journal of Dairy Science, Champaign, v. 89, n. 1, p. 111 - 125, 2006.

 

SOBRE O AUTOR

Pietro Jacometti Massari é graduado em Medicina Veterinária pelo Unipinhal - Centro Universitário de Espirito Santo do Pinhal.

 

FOTO: Istock: Egasit Mullakhut

Compartilhe esta notícia:

Comentários

JARBAS SANTOS DANTAS

Terça-feira, 09 de Maio de 2017

bom dia! estou com uma égua com 4 meses de prenhes e preciso de um remédio indicado para carrapatos, posso usar colosso pulverização?

Ourofino Saúde Animal

Terça-feira, 09 de Maio de 2017

Jarbas, o Colosso Pulverização não possui indicação para uso em equinos e portanto não deve ser utilizado. O produto é indicado para uso em pulverizações ou banho de imersão no combate aos seguintes ectoparasiticidas: carrapatos, bernes, moscas e piolhos (em bovinos); sarna e moscas (em suínos) e cascudinho e piolhos (em aviários), conforme escrito em bula. Nossa equipe entrará em contato para falar mais sobre o cuidado com as éguas prenhes. Se precisar de mais informações, estamos à disposição pelo 0800 941 2000. Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h30 às 17h30.

Deixe o seu comentário

Confira outros posts

É importante controlar a coccidiose suína

A coccidiose suína acomete leitões na fase de maternidade. O agente causador da coccidiose em suínos é o Isospora suis. A doença é caracterizada por uma enterite que provoca diarreia em leitões lactentes. Normalmente os sinais cl ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Vaca vazia ao final da lactação e novilha atrasada: o que fazer?

Com a intensificação na seleção genética das propriedades produtoras de leite para atingir a maior capacidade produtiva, é preciso aumentar a atenção para evitar reflexos negativos na eficiência reprodutiva e, consequentemente, na produtividade da fazenda. A ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

A importância da saúde intestinal em frangos de corte

Alterações inflamatórias ou gastroentéricas são as patologias causadas frequentemente por um desequilíbrio da microbiota intestinal (DISBIOSE) e as que causam grandes prejuízos econômicos à produção avícola. Elas podem ser classificadas como infecciosas ...

Confira
Ourofino Saúde Animal
Carregar mais posts