Blog Ourofino

Os melhores conteúdos em Saúde Animal

O uso do GnRH (Sincroforte) nos protocolos de IATF para vacas de leite pode incrementar a taxa de concepção

Reprodução

Quarta-feira, 28 de Junho de 2017

Por Bruno Gonzalez de Freitas e Bruna Martins Guerreiro, especialistas técnicos em Reprodução Animal na Ourofino Saúde Animal

A produtividade por animal é um dos índices que podem impactar na lucratividade das propriedades produtoras de leite. Para que o sistema seja eficiente, as vacas necessitam de ambiência, nutrição de qualidade, protocolos sanitários atualizados e genética que permita a elevação da produção de leite diária. Entretanto, incrementar a produtividade também aumenta o desafio reprodutivo dessas fêmeas e, portanto, é necessário que o manejo reprodutivo seja intensificado objetivando a manutenção da taxa de prenhez e garantindo a continuidade da produção.

A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) é uma biotecnologia que pode ser utilizada rotineiramente no manejo reprodutivo da fazenda. Sua implementação promove mesma taxa de concepção em relação à inseminação artificial por observação de cio, mas possui as vantagens de diminuir o intervalo entre o parto e a concepção (Teixeira, A. – dissertação de mestrado 2013) e acabar com a necessidade de detecção de estro.

Mesmo com o estabelecimento da IATF, em propriedades com vacas de alta produção leiteira, alguns ajustes podem ser realizados no protocolo, objetivando maior eficiência em sincronizar as ovulações e, consequentemente, manter a taxa de concepção no nível desejado. Ajustes como a aplicação de Sincrogest Injetável 4 dias após a IATF (Souza, E.D. – dissertação de mestrado, 2015) podem aumentar a eficiência reprodutiva principalmente nas épocas de altas temperaturas.

Outra alteração no protocolo base que tem sido indicada é a adição de uma dose de GnRH no início do protocolo de IATF. Estudos recentes demonstram que essa prática aumenta a eficiência de sincronização do protocolo, removendo parte dos folículos persistentes que não sofrem atresia no Dia 0 – resultando em aumento da taxa de concepção. Em um comparativo utilizando-se GnRH (n=550) ou benzoato de estradiol (n=485) no dia da inserção do dispositivo de progesterona (Dia 0), pesquisadores evidenciaram uma maior eficiência quando foi utilizado o GnRH (Melo, et al., 2016 – Gráfico 1).

Gráfico 1. Taxa de prenhez com a utilização de benzoato de estradiol (BE) ou GnRH no Dia 0 do protocolo para IATF

 

Como conclusão, podemos ajustar o protocolo base e adicionar no Dia 0 uma dose de Sincroforte, da Ourofino Saúde Animal, com o objetivo de remover o folículo persistente, sincronizando de maneira mais eficiente a emergência de nova onda folicular. Ainda, duas doses de PGF (Sincrocio) podem ser utilizadas, com o objetivo de aumentar as chances de luteólise do corpo lúteo.

 

Referências

L. F. Melo, P. L. J. Monteiro Jr., R. S. Surjus, J. N. Drum, M. C. Wiltbank, and R. Sartori. Progesterone-based fixed-time artificial insemination protocols for dairy cows: Gonadotropin-releasing hormone versus estradiol benzoate at initiation and estradiol cypionate versus estradiol benzoate at the end. J. Dairy Sci. 99:9227–9237 – 2016.

Souza, E. D. F. Efeito da progesterona injetável de longa ação na função luteínica e na taxa de concepção de vacas Holandesas de alta produção submetidas à IATF. Dissertação de mestrado, VRA FMVZ/USP, DOI: 10.11606/D.10.2015.tde-24072015-161051. 2015.

Teixeira, A. A. Impacto da inseminação artificial em tempo fixo na eficiência reprodutiva de vacas de leite de alta produção. Dissertação de mestrado, VRA FMVZ/USP, DOI: 10.11606/D.10.2010.tde-16022011-150133. 2010.

 

Sobre os autores

Bruna Martins Guerreiro é médica-veterinária formada pela UNESP, campus de Jaboticabal e mestre em Reprodução Animal pela Universidade de São Paulo FMVZ/USP.

Bruno Gonzalez de Freitas é médico-veterinário formado pela FMVZ/USP e mestre em reprodução animal pela Universidade de SãoPaulo FMVZ/USP.

 

Foto

Istock

 

Compartilhe esta notícia:

Comentários

EILLOR MOTTA SOUZA

Sexta-feira, 08 de Setembro de 2017

Olá bom dia, vi a reportagens e gostei muito. Estou com um problema com alguns animais, não estão emprenhando, as mesmas tem o ciclo de cio normal de 20 a 22 dias e não emprenha. Cobertura com touro. 1 delas eu percebi que está com uma secreção muito amarelada. Mais as outras estão normais Terminei de adquirir o touro em um evento, o mesmo tem todos os exames. Tem algo ke posso fazer, pois na cidade falta assistência especializada.

Ourofino Saúde Animal

Quinta-feira, 14 de Setembro de 2017

Olá, Eillor! O animal com secreção amarelada pode estar com um comprometimento infeccioso, vaginite ou endometrite. Para saber a causa exata, é necessário que você agende uma consulta com o médico-veterinário para realizar o exame clínico completo. Para as doenças citadas acima existe um protocolo que indicamos quando temos a comprovação da doença, por isso para vaginites e endometrites recomendamos três aplicações, com intervalo de 24 horas, do produto Estreptomax via intramuscular, acompanhado de uma aplicação intrauterina de Gentrin Infusão. Não deixe de consultar o médico-veterinário antes de qualquer tratamento. Obrigado.

LEIDIVAN SATELIS XAVIER

Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

hoje em dia com produtos de alta qualidade e profissionais qualificados podemos, aumentar a produção de carne e leite, diminuir o período de vaca seca, com protocolos de IATF, sempre buscando o melhoramento genérico do rebanho. indiferente da cultura gado de corte ou gado de leite.

Ourofino Saúde Animal

Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

É isso mesmo, Leidivan. Obrigado por acompanhar o nosso blog e conte sempre com a Ourofino.

CESAR DE ALENCAR RITZ SANTANA

Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

VCS OFERECEM CURSO DE IATF

Ourofino Saúde Animal

Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

César, nossa equipe entrará em contato com você para tirar as suas dúvidas. Também estamos à disposição pelo 0800 941 2000. Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h. Obrigado por acompanhar o nosso blog.

Marcelo Lavagnoli

Quinta-feira, 13 de Julho de 2017

Me dá uma informação, eu usei o sincro ECG e sobrou eu posso congelar e usar uns 60 dias depois.

Ourofino Saúde Animal

Quinta-feira, 20 de Julho de 2017

Olá, Marcelo. O indicado é que você congele imediatamente o produto diluído após o uso. Quando for utilizá-lo outra vez basta descongelar em temperatura ambiente. Para outras informações, estamos à disposição pelo 0800 941 2000. Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h. Obrigado por acompanhar o nosso blog.

Marciano R. Bonapaz

Quarta-feira, 12 de Julho de 2017

Gostaria de ter mais informações sobre o protocolo de IATF sem o uso de implante. Obrigado.

Ourofino Saúde Animal

Quinta-feira, 03 de Agosto de 2017

Olá, Marciano! Atualmente não existem protocolos de IATF sem o uso de implantes. A substituição do Sincrogest® dispositivo pelo Sincrogest® Injetável pode apenas ser realizada em protocolo de indução de ciclicidade em novilhas. Para outras informações, nosso time Técnico está à disposição pelo 0800 941 2000. Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h. Obrigado por acompanhar o nosso blog.

Deixe o seu comentário

Confira outros posts

É importante controlar a coccidiose suína

A coccidiose suína acomete leitões na fase de maternidade. O agente causador da coccidiose em suínos é o Isospora suis. A doença é caracterizada por uma enterite que provoca diarreia em leitões lactentes. Normalmente os sinais cl ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Vaca vazia ao final da lactação e novilha atrasada: o que fazer?

Com a intensificação na seleção genética das propriedades produtoras de leite para atingir a maior capacidade produtiva, é preciso aumentar a atenção para evitar reflexos negativos na eficiência reprodutiva e, consequentemente, na produtividade da fazenda. A ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

A importância da saúde intestinal em frangos de corte

Alterações inflamatórias ou gastroentéricas são as patologias causadas frequentemente por um desequilíbrio da microbiota intestinal (DISBIOSE) e as que causam grandes prejuízos econômicos à produção avícola. Elas podem ser classificadas como infecciosas ...

Confira
Ourofino Saúde Animal
Carregar mais posts