Ourofino e Paulo Tabanez levam conhecimento sobre leishmaniose para mais de 20 cidades brasileiras

01 jun 2015

Ourofino e Paulo Tabanez levam conhecimento sobre leishmaniose para mais de 20 cidades brasileiras

A convite da Ourofino Saúde Animal, o médico-veterinário especialista em leishmaniose, Paulo Tabanez, em parceria à Linha Pet da empresa promove a troca de conhecimento sobre a doença transmitida pelo mosquito-palha. O assunto é destaque em saúde pública, porém ainda pouco conhecido por muitos donos de animais de estimação e profissionais do setor.

Tabanez é mestre em imunologia pela Universidade de Brasília e membro fundador do Brasileish, grupo de estudos sobre leishmaniose animal. “A leishmaniose estava restrita ao Nordeste e hoje são quase 50% dos casos nesta região com o restante distribuído por praticamente todo o país. São estratégias como o uso de repelente, vacinação, educação em saúde, controle de crescimento populacional, posse responsável e conscientização que contribuirão para o controle da leishmaniose em nosso país. O que de fato precisamos é que tanto a classe veterinária como a população tenham sempre informação sobre a doença”, explica.

O especialista é protagonista da Caravana Leevre e percorrerá mais de 20 cidades brasileiras das regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste. Com o tema “Leishmaniose: como proceder?”, a programação deve reunir mais de 2.000 participantes entre médicos-veterinários e profissionais do mercado pet. A iniciativa é parte das ações de lançamento da coleira Leevre, produto à base de deltametrina e propoxur, que combate, por até seis meses, o inseto transmissor da leishmaniose, além de carrapatos e pulgas.

“Mais que oferecer as melhores soluções em produtos para saúde animal, a Ourofino trabalha atenta aos principais desafios para o bem-estar social e para fortalecer a relação entre os animais e seus donos. Na prevenção à leishmaniose, o combate ao transmissor é uma medida efetiva para conter a doença e o Leevre, nova solução da Ourofino, auxilia na repelência e morte do inseto”, explica Fabiana Porto, médica-veterinária e gerente de marketing da Linha Pet da empresa.

Paulo Tabanez explica que, em geral, os inseticidas repelentes à base de piretróides, como a deltametrina, têm eficiência muito boa e podem oferecer um controle adequado. “O que percebemos na clínica é que os donos começam a colocar a coleira no cão só depois que o animal já está infectado ou doente. É preciso fazer a prevenção”, orienta.

A Caravana Leevre teve início em abril e viajará o país até dezembro deste ano. 

Tags