Uma doença silenciosa que atrasa o desenvolvimento dos bezerros, a coccidiose

25 mai 2015

Uma doença silenciosa que atrasa o desenvolvimento dos bezerros, a coccidiose

Com um rebanho de aproximadamente 198,6 milhões de cabeças de bovinos, distribuídas em 181,9 milhões no sistema de criação para corte e 16,7 milhões para produção de leite (Anualpec, 2014), o Brasil possui o maior rebanho comercial do mundo e para manter o nível de produção, ou mesmo aumenta-lo, é essencial que a sanidade do rebanho esteja em dia.

Atualmente o custo médio para se realizar um programa sanitário na pecuária bovina representa apenas 3% do custo de produção de uma arroba (CEPEA, 2014), ou 5% de um litro de leite (CEPEA, 2015).

Entre os desafios sanitários que assombram a pecuária bovina, as doenças provocadas por parasitas internos e externos impactam em aproximadamente 13 bilhões de dólares anuais (Grisi et al. 2014). O maior impacto econômico é provocado pelos parasitas internos, isso pode ser devido a não visualização pelo produtor rural, e também porque a realização de exames laboratoriais para detectar parasitas ainda não faz parte da rotina de produção.

Uma doença que vem aumentando sua importância no segmento é a eimeriose, normalmente chamada como coccidiose. É provocada pelo protozoário Eimeria sp e acomete principalmente bovinos jovens (Taylor et al. 2010).

O bezerro contrai a eimeriose fazendo ingestão da forma infectante do parasita, o oocisto esporulado. Normalmente a fonte de infecção é a água de beber, utensílios e cochos que podem estar contaminados (Taylor et al., 2010). Um ponto importante dessa doença é que normalmente o bezerro não apresenta sinais clínicos, porém permanece por todo tempo eliminando oocistos e contaminando o ambiente (Muirhead, 1989).

Quando o bezerro se infecta, o parasita chega ao intestino e começa um processo de multiplicação por mitoses dentro das células intestinais. A cada ciclo de mitose ocorre o rompimento de células intestinais, o que diminui significativamente a capacidade de absorção dos nutrientes que estão sendo fornecidos (Daugschies et al., 2007).

O resultado desse processo infeccioso é uma perda de peso, atraso no desenvolvimento (Figura 1), que pode ser agravado pela diarreia causada pela infecção por Eimeria, ou infecções secundárias devido as lesões intestinais (Chartier et al. 2012).


Figura 1. Foto de duas bezerras com a mesma idade criadas em sistema intensivo de produção. A bezerra da direita apresentava alta taxa de infecção por Eimeria sp, é possível notar o desenvolvimento inferior quando comparada com a bezerra da direita, que não sofreu nenhum tipo de parasitismo.

 

Com o objetivo de levar ao produtor soluções inteligentes, a Ourofino Saúde Animal apresenta ao mercado a solução para a coccidiose bovina, o Isocox Ruminantes. Formulação composta por Toltrazuril na concentração 5% indicado para o tratamento, metafilaxia E profilaxia da eimeriose bovina. O produto atua sobre todas as fases da Eimeria, eliminando o parasita e permitindo que o animal absorva adequadamente os nutrientes ingeridos. Dessa maneira permite que o bezerro ou a bezerra possa expressar todo seu potencial.

 

Referências:

ANUALPEC, 2014. Anuário da Pecuária Brasileira. São Paulo: Informa Economics FNP, 2014.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA – ESALQ/USP. Boletim do leite. Disponível em: <http://cepea.esalq.usp.br/leite/boletim/239.pdf> Acesso em: 22 de mai. 2015.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA – ESALQ/USP. Informativo CEPEA: Análise Trimestral Custo de Produção Pecuária de Corte. Disponível em: < http://www.cepea.esalq.usp.br/boi/informativos/2014/04BROut_Dez.pdf> Acesso em: 22 de mai. 2015.

CHARTIER, C.; PARAUD, C. Coccidiosis due to Eimeria in sheep and goats, a review. Small Ruminant Research, v. 103, p. 84-92, 2012.

DAUGSCHIES, A., AGNEERSENS, J., GOORSSENS, L., MENGEL, H., VEYS, P. The effect of a methaphylactic treatment with diclazuril (Vecoxan) on the oocyst excretion and growth performance of calves exposed to a natural Eimeria infection. Veterinary Parasitology, v. 149, 199-206, 2007.

GRISI, L.; LEITE, R. C.; MARTINS, J. R. S. et al. Reassessment of the potential economic impact of cattle parasites in Brazil. Braz. J. Vet. Parasitol. v.23, n.2, p.150-156, 2014.

MUIRHEAD, S. Coccidiosis infections often go undetected in beef, dairy cattle. Feedstuffs, v. 15, p. 87, 1989.

TAYLOR, M. A.; COOP, R. L.; WALL, R. L. Parasitos de bovinos: endoparasitos. In: ______. Parasitologia Veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. p. 44-115, 2010.

Marcel Onizuka

Analista Técnico Saúde Animal, Departamento Técnico Grandes Animais

Tags