Um apanhado básico a considerar para produzirmos os alimentos necessários

14 jul 2014

Um apanhado básico a considerar para produzirmos os alimentos necessários

Com a crescente demanda por alimentos é muito importante assegurar a saúde e o bem-estar animal, e controlar os riscos em toda a cadeia de produção.

Para tanto, a prestação de serviços dos médicos veterinários e técnicos deve ser bem estruturada. A capacitação das pessoas envolvidas em cada etapa produtiva é indispensável para que a produção cresça.

Métodos de detecção de doenças e seus controles devem ser feitos por profissionais devidamente capacitados para tais tarefas e conscientizados para tal objetivo: o aumento da produção de alimentos.

A sanidade é essencial para garantir os bons desempenhos zootécnico e reprodutivo, e prevenir as zoonoses que impõem barreiras comerciais. As doenças nos bovinos podem ser de origem viral, bacteriana, parasitária, por fungos, entre outros meios. Para combatê-las, preveni-las e controlá-las há programas de sanidade contra febre aftosa, raiva, brucelose, tuberculose, encefalopatia espongiforme bovina (EEB) etc. Em bezerros, atenção ao controle de diarreias e pneumonias. Em animais de reprodução, destacam-se a brucelose, leptospirose, IBR, BVD, listeriose, campilobacteriose, neosporose e tricomonose. Para os animais em terminação, o controle deve ser feito principalmente para os problemas metabólicos (como cetose, acidose, laminite), tuberculose e intoxicações. Outras enfermidades com destaque entre as quais também devemos nos preocupar são: cisticercose, clostridioses, leucose bovina, tristeza parasitária e ceratoconjuntivite.

As doenças podem ser controladas quando o diagnóstico é rápido e assertivo. Os animais doentes devem ser separados. Então é preciso adotar o protocolo sanitário correto. Essa é a prioridade.

A compra dos animais, quarentena, vacinação e vermifugação são pontos que não podem ser esquecidos. Investir em vacinas também é fundamental.

Com a crescente demanda por produção de alimentos, entender e incluir tudo o que é produzido a partir de animais é uma meta de todos os envolvidos na cadeia produtiva para o desenvolvimento social e econômico do Brasil e do mundo.

Quanto tempo levaremos para garantir um ponto básico, o protocolo sanitário, nas fazendas em todo o país? Esse é o primeiro passo para contarmos com a produção de, pelo menos, carne e leite, para alimentar as quase 10 bilhões de pessoas que dividirão este nosso mesmo espaço de hoje em 2050.

Daniela Miyasaka S. Cassol

Médica Veterinária e Gerente Técnica Saúde Animal - Ourofino

Tags