Entenda sobre diferentes antimicrobianos

31 out 2017

Entenda sobre diferentes antimicrobianos

O mercado veterinário apresenta atualmente uma quantidade significativa de moléculas com indicações semelhantes, porém com funcionalidades e mecanismos de ação distintos, dentre as mais recentes que temos podemos citar o Ceftiofur e a Marbofloxacina. O Ceftiofur é uma das moléculas mais utilizadas em bovinos de leite devido à sua carência ser muito baixa, tornando-a interessante neste segmento. 

Trata-se de uma cefalosporina de 3° geração que possui como mecanismo de ação a fragilização da parede das bactérias, tendo como consequência a maior penetração de água, o que promove a lise (ruptura) da parede acarretando assim sua destruição. Com relação à baixa carência, alguns pesquisadores atribuem ao tamanho da estrutura molecular, já outros defendem a teoria da baixa afinidade pelo tecido mamário. Um ponto que deve ser ressaltado é a questão da molécula ser tempo-dependente, mantendo-se circulante em altas concentrações durante vários dias, o que torna seu uso interessante para enfermidades crônicas como as afecções de cascos. A única ressalva com relação ao Ceftiofur é sua baixa penetração na glândula mamária, interferindo assim diretamente nos resultados que podem ser obtidos com o uso em enfermidades deste tecido, porém, como medida para salvar o animal em mastites com comprometimento sistêmico, é uma excelente opção.

A Marbofloxacina por sua vez, é uma molécula de rápida ação com alta perfusão em tecidos inflamados. Por esse motivo, é uma excelente opção de tratamento em enfermidades agudas. Ela pertence à classe das fluorquinolona de 3° geração que possui 2 mecanismos de ação em nível de DNA da bactéria, portanto atua no interior da mesma, causando defeitos irreversíveis que levam à morte da bactéria como consequência. Por sua excelente permeabilidade através de membranas, a concentração do ativo no interior das células de defesa pode alcançar até 8 vezes mais que a concentração na circulação, tal fato facilita a atuação em tecidos inflamados, pois se utiliza das células de defesa que se apresentam em grande quantidade nos tecidos inflamados. Quando levamos estas características à risca, temos uma excelente opção para tratamentos de mastite, pneumonias agudas e outras tantas enfermidades inflamatórias presentes nas propriedades de leite. Outra caraterística muito relevante da molécula é o fato de ser concentração-dependente, com isso, quanto maior a concentração, melhor o efeito e resultados a serem obtidos. Levando em consideração os argumentos apresentados, temos uma excelente molécula para tratamentos agudos, podendo repetir a aplicação com intervalos relativamente curtos (24 horas).

Resumindo:

Marcelo Arne Feckinghaus, especialista técnico na Ourofino Saúde Animal

Tags