A capacitação da mão-de-obra é importante para obter bons resultados na IATF

28 fev 2016

A capacitação da mão-de-obra é importante para obter bons resultados na IATF

O desenvolvimento das biotecnologias reprodutivas, tornando-as mais simples e com maior eficiência, tem permitido a disseminação do melhoramento genético, proporcionando o aumento da produtividade das fazendas de leite e corte por todo o mundo. Nesse contexto, a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) tem se mostrado uma importante ferramenta de manejo reprodutivo, pois acaba com a necessidade de detecção de cio, que é uma técnica que pode ser praticamente inviável nos rebanhos comerciais de cria (Baruselli et al., 2004). Além disso, a IATF possibilita o planejamento da reprodução da propriedade, com manejos e inseminações em datas pré-definidas, programação do nascimento dos bezerros e, em comparação à monta natural, reduz o período de serviço de vacas de corte paridas (Sá Filho et al., 2013).

Apesar dos extensos benefícios que a utilização da IATF pode trazer às propriedades, sua implementação e seu sucesso estão intimamente ligados à capacitação da mão de obra. A obtenção de bons índices depende de diversos pontos relacionados ao treinamento dos colaboradores, podendo ser destacados:

Correto manejo das fêmeas, a fim de evitar estresse desnecessário e acidentes durante a lida;
Inseminadores capacitados, com cursos de reciclagem antes de cada estação de monta;
Correta execução de todas as etapas dos protocolos hormonais, incluindo as etapas de descongelação do sêmen.

Com relação à lida com os animais, estudos têm demonstrado que o estresse produzido por um manejo aversivo pode alterar a resposta dos animais ao protocolo recebido, ocasionando alterações no eixo reprodutivo e até mesmo perdas embrionárias (Dobson e Smith, 2000). Tal estresse pode ser gerado desde o momento de reunião do lote no pasto, passando pelo trajeto até o curral e pelo manejo dentro do mesmo. O risco de lesões, fraturas e até mesmo morte de animais é incrivelmente aumentado quando as fêmeas são manipuladas em currais sem estrutura e por colaboradores que não são treinados em praticar o manejo racional.

No tocante à capacitação de mão de obra, estudos indicam que cursos de qualificação dos funcionários e reciclagem do conhecimento promovem aumento da taxa de prenhez quando realizados (Fernandes Jr. 2001). Revisar todo o processo de IATF periodicamente se faz necessário, almejando o aumento da habilidade e autoconfiança do inseminador. Tais achados evidenciam que o treinamento/reciclagem pode aumentar a habilidade dos colaboradores, sendo importantes para aumentar a confiança e auto-estima dos mesmos. Tais atitudes de valorização da equipe envolvida refletem positivamente nos resultados da IATF (Russi et al. 2009).

Além do correto manejo e do treinamento e capacitação da mão de obra, a adequada execução de todos os passos dos protocolos hormonais, obedecendo as doses e momentos de administração dos hormônios é de suma importância para a eficiência da IATF. Outro ponto a ser citado é a correta manipulação do sêmen desde o seu transporte, armazenamento e descongelação para a inseminação artificial. Estudo recente (Penteado et al. 2015) comparou a taxa de concepção quando da descongelação de 10 palhetas de sêmen ou apenas 3 palhetas de sêmen por vez. Os resultados obtidos pelos pesquisadores seguem na figura abaixo:


Figura 1. Taxa de concepção à IATF quando foram descongeladas 10 palhetas ou 3 palhetas de sêmen por vez (adaptado de Penteado et al. 2015).

Tais resultados indicam que uma manipulação apropriada das palhetas de sêmen, de modo que, após a descongelação, as mesmas fiquem o mínimo de tempo possível na espera para serem utilizadas pode fazer a diferença e incrementar a concepção da IATF.

Portanto, a capacitação da mão de obra é fundamental para maximizar a eficiência dos protocolos de inseminação artificial em tempo fixo. O correto manejo das fêmeas, evitando-se o estresse, bem como a capacitação e reciclagem dos colaboradores é de suma importância para que se obtenha o sucesso reprodutivo, traduzido em boa taxa de concepção. Ainda, realizar de maneira adequada todas as etapas de administração de hormônios e descongelação do sêmen para a inseminação sabidamente é necessário para que se obtenha o máximo que a IATF pode fornecer.

 

Referências:

BARUSELLI P.S., SALES J.N.S., SALA R.V., VIEIRA L.M., SÁ FILHO M.F.; History, evolution and perspectives of timed artificial insemination programs in Brazil. Anim Reprod, v.9, n.3, p.139-152, Jul./Sept. 2012

SÁ FILHO, M. F.; PENTEADO, L.; REIS, E. L.; REIS, T. A N. P. S.; GALVÃO, K. N.; BARUSELLI, P. S. Timed artificial insemination early in the breeding season improves the reproductive performance of suckled beef cows. Theriogenology, v. 79, n. 4, p. 625–632, 1 mar. 2013.

DOBSON H, SMITH RF. What is stress and how does it affect reproduction? Anim Reprod Sci, v.60-61, p.743-752, 2000.

RUSSI L.V., COSTA E SILVA E.V., ZÚCCARI C.E.S.N. Importância da capacitação de recursos humanos em programas de inseminação artificial. Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.33, n.1, p.20-25, jan./mar. 2009.

FERNANDES JR. JA. Inseminação artificial em gado de corte: impacto da equipe de inseminadores nos resultados obtidos. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, 87f, 2001.

PENTEADO L., QUESADA R.R., ROSA I.M.P., GRAEFF L., MINGOTI R.D., SÁ FILHO M.F., BARUSELLI P.S. O descongelamento simultâneo de dez palhetas de sêmen reduz a taxa de concepção de vacas de corte submetidas à IATF. Anim Reprod, v.12, n.3, p.652, 2015.

 

Bruno Gonzalez de Freitas

Especialista técnico em reprodução animal – Departamento técnico Ourofino Saúde Animal

Tags